Samara Felippo usou as redes sociais nesta segunda-feira, 2, para falar sobre cabelos brancos. Isso porque a atriz decidiu parar de colorir as mechas durante a pandemia do novo coronavírus. “Muitas mulheres me perguntam sobre esse processo, que começou na minha vida nessa quarentena: a permissão para os meus fios brancos nascerem. Eles insistiam em nascer há muito tempo, eu sempre tive e é uma herança do meu pai, muito grisalho E eu nunca deixei porque eu sempre trabalhei com televisão e, como vocês sabem, na nossa sociedade tão machista e opressora, mulher de cabelo branco é mulher velha, relaxada, que não se cuida. Ao contrário do homem que é maduro, charmoso e experiente”, desabafou.

Em um vídeo que compartilhou no Instagram, Samara disse que esse pensamento machista foi perpetuado ao longo dos anos e ainda está arraigado na nossa cultura. “E para mim também, sempre foi horrível. Pintei o cabelo a vida inteira e por causa do trabalho E veio a quarentena, pensei em pintar diversas vezes”, relata a atriz, que disse que chegou a ligar para a cabeleireira. “Falei para ela vir com segurança, porque não fui ao salão até hoje. Eu falava: ‘Ah, vamos esperar um pouquinho’. E assim foi indo e eu não pintei”, disse.

Convivendo diariamente com o namorado, Samara Felippo disse que decidiu deixar os cabelos brancos crescerem e que o companheiro a ajudou nesse processo.

“Como é que eu ia conviver com esse cabelo branco, velha, junto com ele? É quase como a indústria da estética, que você tem que se odiar para alimentá-los. A gente odeia nossa maturidade física quando ela aparece. E estou aqui pra tentar ajudar quem está no processo. A gente tem a liberdade de escolher a forma que a gente quer. Se a gente quer pintar o cabelo, pinte. Se você quiser deixar ficar branco para se entender por um tempo, tudo bem. Mas essa coisa de eu ter tido vergonha… porque eu quase não saia de casa, ninguém ia me ver, mas eu estava no dia a dia com meu companheiro. Só que ele é um cara incrível, me ajudou muito a passar pelo processo, me elogiando. Se eu puder inspirar alguma mulher, aqui estou eu”, relatou.
Foto: Divulgação

Samara Felippo também tirou uma lição sobre autoconhecimento: “mulheres, aprendi esse autoamor ao meu cabelo, a essa transição da minha maturidade, dos meus 42 , estou me sentindo linda, independente de qualquer reação que as pessoas tenham”.

A atriz contou que teve de parar de gravar uma série, no início da pandemia, em que a personagem tinha cabelo ruivo. “Se a série voltar, terei de voltar a pintar de ruivo. Estou com medo de ter de pintar o cabelo por causa de um personagem, enfim, estou com medo de julgamento. Mas quero dizer que você é linda do jeito que você é”, finalizou a atriz.