A Jovem Pan anunciou nesta quarta-feira (4) que desligou o comentarista Rodrigo Constantino, 44, de seus quadros. A demissão ocorreu após uma transmissão ao vivo no canal dele no YouTube na qual ele comentava o caso da jovem Mariana Ferrer, que diz ter sido vítima de estupro em uma casa noturna de Jurerê Internacional (SC).

Durante a live, Constantino afirmou que, caso a própria filha sofresse um abuso em condições semelhantes às descritas pela influenciadora digital, ele não denunciaria o homem e a deixaria de castigo. “Eu vou dar esporro na minha filha, que alguma coisa ali ela errou feio”, afirmou. “E eu devo ter errado pra ela agir assim.”

Foto: Reprodução/Twitter

“Se minha filha chegar em casa, isola [ele bate na madeira]… Mas se a minha filha chegar em casa –e eu dou boa educação para que isso não aconteça, mas a gente nunca controla tudo–, se ela chegar em casa um dia dizendo: ‘Pai, fui para uma festinha, ah, fui estuprada’. [Eu perguntaria]: ‘Me dá as circunstâncias’. ‘Ah, fui para uma festinha, eu e três amigas, tinha 18 homens, nós bebemos muito e eu estava ficando com dois caras, e eu acabei dormindo lá e eu fui abusada’.”

“Ela vai ficar de castigo feio e eu não vou denunciar um cara desses para a polícia”, disse. “É um comportamento absolutamente condenável. Só que a gente não pode mais falar essas coisas hoje em dia. Que existe mulher decente também ou piranha. Porque eu acabei de falar que o homem que faz uma coisa dessas não é decente, mas não existe também a ideia de mulher decente? As feministas querem que não. Por quê? Porque feminista é tudo recalcada, ressentida e normalmente mocreia, vadia, odeia homem, odeia união estável, casamento… odeia tudo isso.”

A fala do comentarista gerou revolta na internet. Nesta tarde, o nome dele aparecia em primeiro lugar nos trending topics (lista de assuntos mais comentados) do Brasil, e em 10º lugar no ranking mundial.

No comunicado anunciando a demissão, a Jovem Pan disse que preza pela liberdade de expressão, mas “desaprova veementemente todo o conteúdo publicado nos canais pessoais e apresentado nessa live”. “No caso de Mariana Ferrer, defendemos que a vítima não deve ser responsabilizada pelos atos de seu agressor, apesar do respeito que todos nós devemos ter às decisões judiciais”, diz o texto.

Após o anúncio do desligamento, ele comentou o assunto em suas redes sociais. “Vocês venceram uma batalha, parabéns! A pressão foi tão grande sobre a Jovem Pan, distorcendo claramente minha fala, que não resistiram”, escreveu. “Não os culpo. É do jogo. Quem me conhece e quem viu de fato sabe que eu jamais faria apologia ao estupro! Mas desde já estou fora da Jovem Pan.”

“Sou muito grato por tudo que a Jovem Pan fez, pelo espaço livre, pela confiança”, continuou. “Foi um período de trabalho intenso, muitas conquistas e crescimento.”

Leia abaixo a íntegra do comunicado da Jovem Pan:

“O Grupo Jovem Pan tem como premissa a liberdade de expressão e o amplo debate entre seus comentaristas. Diante do ocorrido nesta quarta-feira, 4, em uma live independente, promovida fora de nossas plataformas, por um de nossos comentaristas, a Jovem Pan esclarece que desaprova veementemente todo o conteúdo publicado nos canais pessoais e apresentado nessa live. Reafirmamos que as opiniões de nossos comentaristas são independentes e necessariamente não representam a opinião do Grupo Jovem Pan. No caso de Mariana Ferrer, defendemos que a vítima não deve ser responsabilizada pelos atos de seu agressor, apesar do respeito que todos nós devemos ter às decisões judiciais. Em consequência do episódio, na tarde desta quarta-feira, Rodrigo Constantino foi desligado de nosso quadro de comentaristas.”