Rafa Kalimann, 27, agitou a web após publicar um vídeo em sua conta no TikTok nesta quinta-feira (5). Isso porque a ex-BBB e influenciadora digital fez uma dublagem, em forma de apoio, ao caso de Mariana Ferrer, vítima de estupro. Entretanto, o que era para ser um protesto, se tornou uma grande polêmica.

(Foto: Instagram)

 

“É tão cruel usar o áudio de uma audiência tão séria e delicada pra fazer dublagem. Além de ser gatilho para outras mulheres, é doloroso ver que estão banalizando por like”, comentou uma internauta em resposta ao tuíte de desculpas de Kalimann, publicado ainda nesta quinta.

A atriz recém-contratada da Globo admitiu ter sido infeliz e indelicada. “Peço desculpas de todo coração pelo meu último TikTok, fui infeliz e indelicada. Minha intenção era outra. Reconheço totalmente meu erro e agradeço quem me alertou”, afirmou.

O caso denominado como “estupro culposo” que inocentou o empresário André de Camargo Aranha acusado de estuprar a influenciadora digital Mariana Ferrer tem revoltado famosos. Por suas redes sociais, alguns deles fizeram questão de manifestar seu total repúdio à decisão de um promotor que não viu intenção no ato do acusado. O caso foi divulgado pelo site The Intercept.

A conclusão do juiz foi de que “não há provas contundentes nos autos a corroborar a versão acusatória”. A sentença reconhece que “há provas da materialidade e da autoria, pois o laudo pericial confirmou a prática de conjunção carnal e ruptura himenal recente”.

Entre as celebridades que se manifestaram em apoio à Ferrer estão a cantora Iza, as atrizes Isis Valverde, Deborah Secco, Bruna Marquezine, Fernanda Paes Leme, entre outras. Na quarta-feira (4), quando a hashtag #justiçapormariferrer tomou conto da internet, Kalimann fez um desabafo em seu Instagram.

Em uma publicação, a atriz que concorre ao papel de Juma, publicou uma foto onde aparece nua. “Não importa como me visto, como escolho estar, se bêbada, se sóbria, se vestida ou nua. Não importa onde estou, com quem estou, não importa a pose, a foto. NÃO IMPORTA porque NÃO É NÃO!”, escreveu. (sic)