Pabllo Vittar, 24, começou a cantar ainda nova, em um coral de igreja católico, e passou por festas e casas noturnas até se tornar uma cantora internacional. Mas, apesar de ter iniciado ainda jovem, a música nem sempre foi o alvo da carreira da drag queen.

Reprodução

“Desde pequenininha, sempre sonhei em ser muita coisa na minha vida”, contou a artista em um evento dentro da Casa 1, organização de São Paulo que acolhe pessoas LGBT expulsas de casa por suas orientações e promove a diversidade cultural.

A drag queen diz que já sonhou em ser bailarina após fazer aulas de dança com a irmã. “Quando minha mãe me colocou no balé, na minha cabeça eu iria entrar no Bolshoi”, revelou, em referência à companhia de balé de Moscou que é modelo mundial. “Eu falava para minha mãe ‘só se eu for com sapatilha de ponta, e eu quero ser a menina, não vou levantar nenhuma menina'”, brinca.

A dança faz parte até hoje da performance de Pabllo Vittar como artista, mas ela revelou que também já quis ser professora de inglês. “E eu nem sou fluente na língua”, lembra.

A liberdade de escolha e espaço para sonhar, segundo Pabllo Vittar, veio da mãe, que nunca escondeu a sexualidade dos filhos –a irmã da drag, Polyanna Rodrigues, é lésbica– e sempre os incentivou a acreditarem em si mesmos. “Nunca me senti podada pelas pessoas mais próximas da família. Minha mãe sempre me apoiou e a minha irmã nos nossos sonhos. E ensinou que, se hoje não deu certo, amanhã pode dar.”

No final das contas, a artista acabou iniciando um curso de design na Universidade Federal de Uberlândia (UFU) em 2013, mas teve que trancar a faculdade em decorrência da sua agenda de shows.

Recentemente, Pabllo esteve na Paraga Gay de Nova York e no festival Coachella, na Califórnia. No repertório, lançou recentemente uma parceria com Luisa Sonza, “Garupa”, e com a britânica Charli XCX, “Flash Pose”. Agora, ela se prepara para lançar seu novo álbum, “111” (uma referência à sua data de aniversário, 1º de novembro), ainda sem data de estreia, mas que promete ter músicas em português, inglês e espanhol.