A pandemia do novo coronavírus interrompeu várias produções artísticas, mas não distanciou Guilherme Leicam, 30, da atuação. O artista, que está na reprise de “Fina Estampa” (Globo, 2011-2012), tem dedicado esse tempo em casa a dar aulas online para novos atores e atrizes.

“Eu me sinto orgulhoso por fazer esse trabalho de incentivo à nossa arte”, afirma o ator, que já vinha dedicando seu tempo às aulas de preparação de atores, mas pessoalmente. “Agora o jeito foi fazer online mesmo, não podemos parar de estudar, temos que continuar nos desenvolvendo. Toda crise tem uma oportunidade.”

Leicam, que se mostra bastante positivo em relação à quarentena e às oportunidades que virão após ela, conta que começou a trabalhar com a preparação de atores há cerca de cinco anos, quando criou sua própria produtora. Ele afirma que os momentos com os alunos têm sido a melhor parte de seu dia.

Para completar, o ator está podendo rever seu primeiro papel no horário nobre, quando deu vida a Fábio, em “Fina Estampa”. Segundo ele, uma surpresa na época, já que havia recém-estreado na TV, em “Tempos Modernos” (Globo, 2010). “A primeira novela das 21h a gente nunca esquece”, brinca.

 

Foto: Reprodução/Instagram

 

Leicam conta que uma das coisas mais legais de atuar em “Fina Estampa” foi o processo de preparação do personagem, já que ele, que tinha 21 anos na época, interpretou um adolescente. Para o ator, foi um processo de desconstrução e preparação para entrar no perfil do personagem, que ele confessa adorar.

O ator recorda as amizades que nasceram nos bastidores da trama e que ele mantém até hoje, como com o ator David Lucas, 25, que interpretou René Junior. E acima de tudo, ele comemora a oportunidade de ver o trabalho de atores como Lilia Cabral, 63, que deu vida a Griselda, e Marcelo Serrado, 53, o afetado Crô.

“O que mais me marcou não foram minhas cenas, mas acompanhar de perto gravações da Griselda e do incrível Crô. Era impressionante ver como a Lilia Cabral vivia aquela personagem, que profissional maravilhosa, gentil, humilde. Ela geralmente fazia as cenas de emoção de primeira, sem errar nada. Eu aplaudi de perto umas três vezes.”

Mesmo após nove anos, Guilherme Leicam afirma que os telespectadores continuam fiéis a “Fina Estampa”, com comentários e elogios. “Diariamente eu recebo marcações nas minhas redes sociais. Na rua, todo mundo me fala: ‘Nossa como você estava novinho’ ou perguntam: ‘O que vai acontecer com a sua mãe lá na novela?’, diz o ator sobre a personagem Chiara (Helena Ranaldi).

Ele conta que não ficou parado e afirma que cresceu muito de lá pra cá. Depois de “Fina Estampa”, ele fez o motoqueiro Vitor, protagonista de “Malhação: Intensa Como a Vida” (Globo, 2012-2013). “Já tinha uma referência de profissional que eu queria ser, o maior desafio era o volume de texto. Fui me adaptando, precisei de muito foco.”

“Como eu sempre digo: cada trabalho ou experiência gera um aprendizado e eu posso dizer que desfrutei muito de todos os trabalhos que fiz na Globo”, afirma ele, cuja última novela foi “A Dona do Pedaço” (Globo, 2019), em que viveu o matador gay Leandro, que fez par romântico com Agno (Malvino Salvador).