Na última quinta-feira, Izaura Garcia de Carvalho Mendes, de 65 anos, foi à delegacia com duas advogadas e um suposto registro de sua obra na Biblioteca Nacional. Ela acusava Padre Marcelo Rossi de plágio e dizia que ele teria reproduzido um poema seu sem os devidos créditos no livro “Ágape”. O documento, porém, era falso.

Padre Marcelo Rossi e Izaura Garcia, presa por acusá-lo falsamente de plágio no livro “Ágape” Foto: Reprodução

No lugar de indenização pretendida, Izaura e as advogadas Carolina Araújo Braga Miraglia de Andrade e Mariana Farias Sauwen de Almeida tiveram a prisão decretada pelo uso do documento fraudado e outras três infrações: formação de quadrilha, denunciação caluniosa e estelionato. As informações são do Fantástico. Segundo a seção da OAB no Rio, a prisão das advogadas foi ilegal.

Para ler a matéria completa no Extra, clique aqui.