O estilista italiano naturalizado francês Pierre Cardin, que eternizou seu estilo futurista e designs inspirados na Era Espacial, morreu na manhã desta terça-feira (29), aos 98 anos, no hospital de Neuilly, ao oeste de Paris. A informação foi confirmada à AFP pela família, sem citar a causa da morte.

“Todos temos orgulho da sua ambição tenaz e da ousadia que demonstrou ao longo da vida. Homem moderno de muitos talentos e energia inesgotável, ele aderiu cedo ao fluxo da globalização de bens e das trocas comerciais”, disse a família em nota.

Cardin nasceu na Itália, mas sua família se mudou para a França quando ele tinha dois anos, para fugir da ascensão do fascismo no país. Após a 2ª Guerra Mundial, ele se tornou aprendiz do então desconhecido Christian Dior, depois fundando sua própria grife nos anos 1950.

 

Foto: Divulgação

 

O estilista ganhou proeminência mundial nos anos 1960, apostando na mistura de tendências e na popularização da alta costura. Cardin foi um dos primeiros estilistas a licenciar o logo de sua grife para outros produtos, como perfumes, cosméticos, canetas e cigarros.

Também foi pioneiro ao desenhar uma coleção “prêt-a-porter”, uma linha de roupas “pronta para vestir” para um público não atendido pelas grifes à época. Além disso, apostou nos mercados asiáticos da China e do Japão, bem como a Rússia, quando estes países ainda não eram alvos para o mercado da moda.

Nos anos 1970, visitou a NASA e experimentou o traje de astronauta usado por Neil Armstrong na viagem à Lua. Inspirado, Cardin chegou a desenhar uma nova versão do traje espacial para a agência norte-americana e incorporou noções da ficção científica e da viagem espacial em suas coleções.

Nas décadas seguintes, o estilista diversificou seus negócios, desenhando interiores para carros, abrindo lojas de móveis e decoração, comprando redes de restaurantes e hotéis.

Cardin também foi mentor de outros estilistas, como Jean-Paul Gaultier, que descrevia como “uma personalidade provocativa”. Gaultier, que começou como seu aprendiz aos 18 anos, obteve sucesso ao “colocar seu selo distintivo em projetos inspirados na cultura de rua, punk e cena gay”, disse Cardin.