Um dos funkeiros em maior ascenção do momento e intérprete do personagem Farula em “Amor de Mãe” (Globo), MC Cabelinho foi chamado a prestar depoimento em uma denúncia do Rio por apologia ao crime nas letras de suas músicas. Um dos parceiros dele, MC Maneirinho, também foi intimado.

(Foto: Divulgação)

 

Cabelinho, cujo nome real é Vitor Hugo Nascimento, fez um dueto com Anitta em “Até o Céu” e, durante a pandemia, lançou um álbum em que fala sobre o cotidiano nas comunidades de Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, onde morou a vida inteira.

“Não vão me calar”, afirmou ele em redes sociais. “Fui intimado porque estão me investigando por ‘apologia ao crime’, uma denúncia política, feita por um deputado do PSL.”

“É impressionante como preto favelado quando faz sucesso pra essa gente só pode ser bandido”, lamentou. “Nasci em comunidade, cresci em comunidade, o tráfico, a morte e o medo me cercam desde que eu era moleque.”

“O estado nunca me deu nada, pelo contrário, patrocina há décadas o genocídio do meu povo”, criticou. “Agora me diz: será que eles querem mesmo acabar com essa guerra? Porque o caminho é fácil: educação, oportunidade, emprego, dignidade.”

“A maioria das pessoas não vira bandido porque quer, virar bandido não é carreira, é assinar sentença de morte”, disse. “Vira bandido, em sua maioria, quem não aguenta mais ver a mãe sendo humilhada pela patroa, o filho passando fome, o pai morrendo na fila do SUS.”

“Poucos viram bandido achando que vão ficar ricos, quem fica rico de verdade com o tráfico está mais perto de Brasília e das pessoas que denunciam favelados como eu do que da favela, pode ter certeza”, afirmou.

“Agora, quer que eu cante sobre o quê? Que eu fale sobre o quê?”, questionou. “Em muitas das minhas letras retrato o que eu vi e vivi, o cotidiano violento da vida de todo morador de comunidade, e pode ter certeza que até quando eu puder vou continuar fazendo isso.”

“Prenderam Renan da Penha, querem me prender, vão querer prender todo favelado que, contrariando a estatística, consegue espaço e reconhecimento da sociedade”, disparou. “O que eles querem de verdade é prender o que a gente representa: o preto favelado que cresce na vida e começa a tomar de volta o lugar que sempre foi nosso por direito.”

O artista recebeu o apoio de Anitta, que se manifestou nas redes sociais. “Novamente os políticos do Brasil tentando se meter na vida dos funkeiros”, reclamou. “Nem vou divulgar o arroba do deputado que está denunciando os funkeiros [MC Cabelinho e MC Maneirinho] por apologia ao crime.

Muita coincidência eles serem chamados para depor agora, nesse ano eleitoral. É para atrair visibilidade ao assunto. Daí o público conservador vai lá e vota. Isso é o que eu acho.”