O ator Matheus Nachtergaele se emocionou durante uma entrevista ao programa Persona, da TV Cultura, ao relembrar o suicídio da mãe, a poetisa e musicista Maria Cecília, que tinha apenas 22 anos quando morreu.

“Uma mãe perdida é uma coisa muito forte, que te marca muito, mas não te define como todo ou para sempre. Sou um órfão típico, um cara sem mãe que sobreviveu à falta dela com a ajuda de mães postiças”, contou o ator, que tinha apenas três meses de vida na época.

Foto: Reprodução

O ator afirmou que viveu grande parte de sua vida sendo criado por “mães postiças”. “Tive uma principal, minha madrasta Carmem, que eu chamo de mãe e casou com meu pai quando eu tinha 1 ano e meio. Foi quem me ensinou tudo, com quem eu tive as maiores brigas e os abraços mais inesquecíveis”, contou.

Para ler a matéria completa no portal Metrópoles, parceiro da Banda B, clique aqui.