(Foto: Reprodução)

Na noite desta segunda-feira, 15, Wesley Safadão participou do programa Conversa com Bial, da TV Globo, e lamentou a série de shows que tiveram de ser cancelados por causa da pandemia do novo coronavírus.

Seguindo orientações sanitárias e para evitar aglomerações que poderiam proliferar o vírus, todas as apresentações foram adiadas. “Tem dias que eu acordo e parece que a ficha não caiu. É como se eu fosse sair para trabalhar. Ainda é tudo muito estranho”, confessou o cantor.

Ele disse que acompanha as notícias e não acredita que o ritmo de trabalho para os cantores e bandas voltará ao normal até o fim do ano. “Tudo é achismo, tudo é incerto, mas a gente tem que se preparar. Tem algumas pessoas que já estão marcando datas para outubro e novembro. Se voltarmos em novembro ou dezembro será lucro e estaremos preparados, mas fiz uma reunião com minha equipe e já estamos trabalhando pensando em 2021, porque ninguém sabe de nada ainda”, relata.

Safadão teve de adiar toda a extensa agenda de show de abril e maio, incluindo festas juninas tradicionais como a de Campina Grande, na Paraíba, intitulado “O Maior São João do Mundo”, que reúne mais de dois milhões de pessoas, e a de Caruaru, em Pernambuco.

“Faz muito tempo que eu não fazia três shows no mesmo dia e esse ano eu iria fazer. Assim como o carnaval tem sua importância para os artistas baianos, para nós aqui do Nordeste, o forró prevalece de uma forma incrível. São 30 dias de festa”, explicou a Pedro Bial.