O chef e empresário Henrique Fogaça disse que vai ter que fechar as portas do restaurante que possui em um shopping no Rio. “Infelizmente, estamos vivendo um pesadelo com a economia, com a pandemia, com tudo”, disse ele, nesta quinta-feira (4), em entrevista ao canal do apresentador Datena, no YouTube.

(Foto: Reprodução)

 

Segundo ele, entre janeiro e abril deste ano, o estabelecimento carioca somou prejuízo na casa dos R$ 500 mil. “Um mês você segura, o segundo mês, você quebra, vai para o buraco”, afirmou. Fogaça também reclamou que os shoppings não são flexíveis na hora de negociar o preço do aluguel e exploram os comerciantes.

Por conta da crise econômica provocada pelo coronavírus, o chef afirmou que teve que demitir 200 funcionários. Os seus restaurantes localizados em São Paulo -Sal Gastronomia, Cão Véio e Jamile- seguem abertos, mas só com atendimento por delivery.

“Estamos trabalhando com delivery, mas traz 15% do faturamento normal do restaurante. Então, é contar moeda para pagar conta de água, conta de luz”, disse.

A expectativa dele é que as unidades na capital paulista possam reabrir no próximo dia 15. “Vamos ter mesas com distanciamento. Se tenho hoje cem lugares, vou ter 50…é uma nova forma de trabalho”, disse.