Fernanda Paes Leme, 37, resolveu responder aos comentários de Mario Frias, 48, a respeito dos comentários que o secretário especial de Cultura fez sobre uma entrevista que ela deu em agosto à revista “Glamour”.

Na época, ela revelou que quebrou o vibrador de tanto usar. O integrante do governo Bolsonaro fez um comentário jocoso a respeito do assunto: “Q vida solitária não?” (sic).

Nesta quinta-feira (24), o assunto voltou à tona após a publicação de um texto de Mariliz Pereira Jorge, que falou sobre o assunto em coluna no jornal Folha de S.Paulo.

“Eu nem cheguei a ver o que o atual secretário de Cultura comentou sobre mim na época em que saíram notícias sobre meu vibrador quebrado”, contou a atriz nas redes sociais. “Me admira essa pessoa, num cargo que exige tamanha responsabilidade, tirou um momento do seu dia para lamentar a minha perda e minha solidão.”

Foto: Reprodução/Metrópoles

“Tomei conhecimento desse comentário apenas hoje, lendo a matéria da Mariliz Pereira Jorge”, afirmou. “Aliás, obrigada, Mariliz, amei o texto.”

“Nem precisaria, mas vou responder ao secretário”, continuou. “Não se preocupa, Mario Frias. Eu não sou solitária, eu estive sozinha apenas durante minha recuperação de Covid, porque ao contrário dos membros do governo eu levo muito a sério a doença e a vida das pessoas.”

“Mas no geral eu não tenho tempo de ficar sozinha, porque eu trabalho muito”, disse. “Eu sou artista sabe como é?! Não?! Bom, mas eu tenho família, amigos, dates, paqueras, tenho um vibrador novo, então realmente, não se preocupe com o quanto eu possa estar solitária, porque eu não sou e não estou.”

“Eu juro que não me incomoda o que você acha de mim”, afirmou. “Primeiro porque a gente não se conhece (ufa), segundo porque eu não acho que você tenha conhecimento real de algo. Somo a sua opinião a tantas outras, descartáveis, bobas, inseguras. Mas então porque eu decidi fazer esses tweets? Porque além de um bom vibrador, expor macho fragilizado e limitado também me dá prazer.”

Pouco tempo depois, a atriz postou um print mostrando que havia sido bloqueada pelo secretário.