Acusado de ao menos dois estupros e de uma tentativa de estupro, o ex-participante do BBB 20 Felipe Prior, 28, diz que as acusações sobre ele são infundadas após saber que a Justiça marcou para 2021 o julgamento do caso.

Em nota, reafirma não ter cometido nenhum crime. “Depois de uma criteriosa investigação, a autoridade policial concluiu pela inocência de Felipe Prior. As provas coletadas ao longo do inquérito demonstraram que ele não cometeu qualquer crime. A defesa confia que o Poder Judiciário também concluirá pela inocência de Prior e afastará as acusações infundadas”, diz.

Foto: Reprodução

O Tribunal de Justiça de São Paulo aceitou uma acusação de estupro contra o arquiteto e ex-BBB e determinou que a audiência de instrução e julgamento do caso ocorra em maio de 2021.

“Verifico que as provas que instruem a denúncia demonstram a materialidade do crime e suficientes indícios a atribuir autoria. Não é caso de rejeição liminar, portanto, recebo a denúncia”, afirma o juiz Luiz Guilherme Angeli Feichtenberger em sua decisão.

Os relatos dão conta de crimes praticados nos anos de 2014, 2016 e 2018 -os dois mais recentes teriam ocorrido durante jogos universitários promovidos por faculdades de arquitetura e urbanismo de São Paulo. Nenhuma das vítimas registrou boletim de ocorrência à época dos acontecimentos por medo.

Em agosto, a delegada Maria Valéria Pereira Novaes, da 1ª Delegacia da Mulher de São Paulo, encerrava o inquérito que apurava acusações de estupro e tentativa de estupro de três mulheres contra Prior. Segundo ela, a decisão foi pelo não indiciamento do suspeito.