Felipe Neto, 32, é alvo de uma ação por danos morais movida por Luciano Hang, dono da rede Havan, e fala em sua defesa sobre o risco à liberdade de expressão que o processo contra ele representa.

Publicada inicialmente por Ancelmo Gois, colunista do jornal O Globo, a informação foi confirmada pela Folha com a assessoria de imprensa do youtuber.

A motivação para o imbróglio jurídico foram críticas que Felipe Neto fez ao empresário, dizendo que este estava tentando driblar a quarentena ao vender itens de alimentação, como arroz, feijão, macarrão e salsicha em suas lojas, dedicadas a itens do lar.

Foto: Reprodução/Instagram

A inclusão de alimentos básicos nas prateleiras mirava a reabertura da rede no período de quarentena de Covid-19, em que apenas comércios essenciais estavam autorizados a funcionar, o que foi criticado pelo youtuber.

De acordo com a assessoria de imprensa de Felipe Neto, detalhes sobre a linha de defesa adotada por seus advogados não serão divulgados, mas o temor é que a ação movida por Hang represente um ataque à liberdade de expressão.

Bolsonarista, Hang foi criticado em outubro após a abertura de uma nova loja da Havan em Belém. Vídeos de aglomerações de clientes circularam nas redes sociais, o que levou a Polícia Civil do Pará a fechar o estabelecimento.