(Foto: Divulgação)

A apresentadora Fernanda Lima encerrou o Amor & Sexo que foi ao ar na noite de terça-feira, 4, com um discurso enfático sobre felicidade.

“Felicidade dentro da gente é estado de espírito. Felicidade fora da gente é justiça e igualdade. Felicidade pode até existir no ouro e na prata, mas ela jamais existirá sem um prato de comida, sem a cartilha da escola, sem a oportunidade de emprego, sem o transporte que nos leva, sem a saúde que nos socorre, sem a segurança que nos permite ir e vir.”

“Felicidade é afetar e se deixar afetar. É se importar, compartilhar, cooperar. Felicidade não é minha ou sua – é nossa. Felicidade é a construção de relações significativas. Felicidade é cidadania. Felicidade é Estado de direito. É aceitar que não é possível ser feliz sozinho”, concluiu.

Na abertura do programa, a apresentadora já havia feito outra reflexão sobre o tema.

“Será que andamos obcecados com essa tal felicidade? Presos a várias fórmulas numa busca sem fim sem saber direito o que ser feliz significa? Casamento, filhos, bens, sexo, poder, o que de fato entra nessa conta?”

“Estaríamos deixando de fora coisas fundamentais? Respeito, sentido, engajamento, profundidade, esperança. Nessa busca frenética para sermos felizes, estaríamos nos entregando às aparências e esquecendo das evidências?”, concluiu, em referência ao conhecido trecho da música Evidências, de Chitãozinho e Xororó.

O programa também contou com uma homenagem a Nelson Mandela, ex-presidente da África do Sul, morto neste mesmo dia há cinco anos.