A família do dublê John Bernecker, morto durante as gravações de “The Walking Dead” em 2017, pede uma indenização no valor entre US$ 40 milhões (R$ 162 milhões) e US$ 100 milhões (R$ 405 milhões) da empresa AMC Networks, responsável pela série.

Foto: Divulgação

Segundo noticiado pelo site Deadline, o advogado Jeff Harris, que representa a família de Bernecker, disse no julgamento do caso que o dublê poderia viver mais “40, 50 anos”. “Quanto vale um ano de vida? É de US$ 1 milhão (R$ 4 milhões) a US$ 2 milhões (R$ 8,1 milhões) por ano. É assim que a lei pensa que você deve calcular os danos e é consistente com a maneira como vemos a vida em nossa sociedade.”

Bernecker morreu aos 33 anos, dois dias após cair de cabeça no chão de concreto do estúdio durante a gravação de uma cena de ação.

O advogado da AMC Networks afirmou que foi um “acidente imprevisível horrível”, mas sem evidências que ocorreu pelo não cumprimento dos protocolos de segurança.

“Se essa era uma operação descuidada que não se importava com a segurança (..), onde estão os outros acidentes?”, questionou Dial aos jurados, segundo o site Deadline. A mãe do ator entrou com o processo contra a AMC e a empresa de produção Stalwart Filme em janeiro de 2018.

Antes de “The Walking Dead”, John Bernecker tinha participado como dublê dos filmes “As Tartarugas Ninja: Fora das Sombras” (2016) e “Jogos Vorazes: A Esperança – O Final” (2015).