O ex-ginasta Diego Hypólito, que anunciou sua aposentadoria na noite do sábado (30) durante o programa “Altas Horas”, da Globo, deu uma entrevista para a Revista Veja, onde conta que desenvolveu síndrome do pânico por conta das ameaças que recebeu após seu encontro com o presidente Jair Bolsonaro. “Honestamente, não imaginava essa onda de ódio”, afirmou.

(Foto: Reprodução/Instagram)

Diego explicou que foi convidado pela primeira-dama, Michelle Bolsonaro, para um café da manhã e aceitou.

Pouco tempo depois descobriu que o presidente tinha interesse em conhecê-lo e que tirou a foto com Bolsonaro porque não se recusa uma foto.

O ex-atleta afirmou que nunca recebeu tantos ataques. “Fui ameaçado de morte, maltratado e xingado de tudo nas redes sociais”, contou.

Diego falou também que não tem saído de casa e que foi agredido em uma balada. Depois disso, contratou um segurança particular. “Estou muito deprimido e desenvolvi síndrome do pânico”, diz.

Evangélico, Diego afirmou que não sofreu retaliações na igreja quando assumiu publicamente sua homossexualidade neste ano. Ele conta ainda que a primeira-dama “vem sendo muito gentil e respeitosa” desde que os ataques começaram.