A cláusula mais delicada do contrato pré-nupcial assinado por Gusttavo Lima e Andressa Suita é, sem dúvidas, a que trata de traição. De acordo com informações repassadas à coluna, advogados de ambas as partes estariam em uma operação de guerra para garantir que qualquer suspeita possa ser apagada: desde uma limpa completa nas redes sociais, passando por mudanças de números telefônicos, bem como confisco dos celulares, qualquer detalhe que possa despertar conjecturas está sendo peremptoriamente deletado.

Foto: Reprodução/Twitter

Isso porque, caso haja comprovação do adultério, o contrato é anulado. Buscamos advogados especialistas em Direito da Família para entender se existem consequências legais nessa tentativa de excluir o passado. “Se a questão já estiver em julgamento, ambos podem incorrer no tipo penal descrito no artigo 305 do Código Penal Brasileiro, que diz que destruir, suprimir ou ocultar, em benefício próprio ou de outrem, ou em prejuízo alheio, documento público ou particular verdadeiro, de que não podia dispor, é crime. Quem praticar este ato estará sujeito a pena de reclusão de dois a seis anos e multa se o documento for público. Porém, se o documento for particular, a reclusão poderá ser de um a cinco anos”, explicou o advogado Felipe Ferreira dos Santos, associado ao Instituto Brasileiro de Direito de Família (IBDFAM).

“Quando um pacto pré-nupcial é firmado, é dever de ambos os cônjuges a fidelidade recíproca, sendo possível instaurar cláusulas que prevejam indenizações para o caso de infidelidade de um dos cônjuges ou em término da união”, completou.

Para ler a coluna de Leo Dias completa no portal Metrópoles, parceiro da Banda B, clique aqui.