A cantora Anitta, 27, provocou polêmica nas redes sociais na noite de sexta (4) ao repostar no Stories do Instagram uma montagem feita por uma fã em que ela aparece sentada em um sofá com a legenda “Barbie em vida de patroa”. Alguns internautas apontaram que a publicação é racista, porque no fundo da imagem está retratada a funkeira Ludmilla, 25, de óculos escuros.

A assessoria de imprensa de Anitta afirmou que ela compartilhou o meme “sem perceber que havia uma provocação escondida na imagem”. “Em menos de dois minutos, a cantora foi alertada, apagou e denunciou o conteúdo”, completou a assessoria da cantora.

Postagem polêmica com Ludmilla ao fundo

Apesar de ter apagado o post, a montagem viralizou e a hashtag #AnittaRacista chegou aos assuntos mais comentados no Twitter. “O ano é 2020 e temos Anitta como patroa em um sofá confortável esperando a cantora e compositora Ludmilla servi-la utilizando assim a lógica branca de que mulher preta foi feita apenas para servir”, escreveu uma internauta na rede social.

Outras pessoas defenderam Anitta, dizendo que o meme, na verdade, é uma referência à rivalidade entre as duas artistas. “Acho que o que ela quis dizer foi uma questão de poder, Anitta é a patroa, quero dizer, ela tem uma carreira de mais sucesso do que Ludmilla, foi uma alfinetada [sic], e não uma questão de raça. Elas sempre foram rivais”, afirmou outra internauta.

ENTENDA A BRIGA

A confusão entre Anitta e Ludmilla começou no ano passado por causa de uma polêmica em torno de “Onda Diferente”, música lançada por elas com o rapper Snoop Dog. Compositora da canção, Ludmilla ficou irritada ao perceber que Anitta também estava creditada como autora na ficha técnica da faixa no Spotify.

Segundo ela, o combinado é que ela dividiria os créditos da letra com Snoop Dog, já que essa foi a condição do astro internacional para participar da produção. Anitta não seria incluída.

A ficha técnica foi alterada e o nome de Anitta foi cortado da composição. Mas em junho deste ano, Ludmilla divulgou um vídeo, chamado por ela de carta aberta, em que expôs conversas antigas com a ex-amiga e explicou que foi ao seu limite depois de “aguentar muita coisa calada”.

“Ela [Anitta] é assim, muito ardilosa e faz tudo de caso pensado”, afirmou, na ocasião. Anitta não se pronunciou diretamente sobre o assunto, mas alguns dias depois ela escreveu nas redes sociais, sem citar o nome de Ludmilla, que a sua equipe estava apurando os perfis que estavam propagando mensagens racistas.

“Criminosos covardes que se dizem meus fãs estão propagando mensagens de racismo e injuria racial nas redes sociais. Já disse e repito: Isso é abominável e inadmissível”, afirmou na época.

Em novembro de 2019, ela também se manifestou publicamente quando Ludmilla foi vítima de racismo durante o Prêmio Multishow. Na ocasião, a funkeira foi chamada de macaca enquanto caminhava até o palco para receber o prêmio de Melhor Cantora

“Inaceitável que alguém possa se achar no direito de chamar um negro de macaco ou tentar reduzi-lo como um ser humano inferior. Melhorem. Isso é crime e absolutamente abominável”, escreveu Anitta, no Twitter.