Uma pesquisa divulgada nesta terça-feira, 30, pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, mostrou que dentro de 50 anos o número de perfis de pessoas mortas no Facebook irá ultrapassar o de usuários vivos.

De acordo com o levantamento, a rede social conta atualmente com 2,2 bilhões de perfis e ao menos oito mil usuários morrem por dia.

Os pesquisadores concluíram que até 2100, a plataforma poderá ter entre 1,4 bilhão a 4,9 bilhões de perfis de pessoas mortas.

“Nunca antes na história um arquivo tão vasto de comportamento e cultura humana foi reunido em um só lugar. Controlar esse arquivo, em certo sentido, será controlar nossa história”, disse o pesquisador David Watson.

Os pesquisadores delimitaram 2069 como o ano que os perfis de pessoas mortas irão superar os de pessoas vivas.

Recentemente, o Facebook anunciou que utilizará inteligência artificial para identificar os perfis de pessoas que já morreram. O objetivo é evitar que o usuário falecido seja convidado para eventos ou apareça na timeline dos de parentes.

Reprodução