O preço médio dos smartphones comercializados no País teve um crescimento superior a 30% nos últimos dois anos, de acordo com estimativa da consultoria IDC. Entre o fim dos anos de 2014 e 2016, o tíquete médio dos aparelhos passou de R$ 700 para um patamar entre R$ 900 a R$ 1.000.

Foto: EBC

Segundo o gerente de pesquisa, Reinaldo Sakis, o aumento foi impulsionado principalmente pela valorização do dólar frente ao real. Isso encareceu os principais componentes dos celulares (processador, memória, tela, entre outros), que são importados. “Os aparelhos usam peças de fora do País e são montados aqui”, explicou Sakis.

O consultor observou que os aparelhos também passaram por uma grande evolução tecnológica, além de crescimento físico. “As telas dos aparelhos comercializados dois anos atrás tinham 4,5 polegadas. Hoje, o modelo mais vendido tem tela de 5,5 polegadas Então, os produtos atuais são maiores e melhores”, disse.

Sakis afirmou ainda que os fabricantes têm segurado os preços e comprimido parte das margens para evitar que seus produtos percam competitividade em meio à crise econômica nacional. “Em condições normais, os preços poderiam ser até maiores”, disse.

A consultoria IDC projeta crescimento de 3,5% nas vendas de smartphones em 2017. Segundo a consultoria, os usuários trocam o celular a cada dois anos, em média. Hoje, 37% da base de aparelhos ativos foi adquirida em 2015, o que sugere um relevante potencial de troca e novas aquisições.