Redação com assessoria

A TNS Brasil, empresa global de pesquisa de mercado, divulga os resultados da pesquisa “Consumo no Natal e expectativas para 2015” realizada este mês com 881 pessoas em todo o Brasil.

A atual estagnação no cenário econômico reflete nos desejos de ano novo dos brasileiros e as principais metas são financeiras: 71% afirmaram que a resolução é aumentar a renda e 64% pretendem poupar. Em relação ao sentimento ligado a dinheiro e gastos para 2015, 75% afirmaram que pretendem economizar mais versus 19% que não pretendem mudar o padrão de gasto.

O desenvolvimento pessoal é o segundo aspecto mais citado: 47% esperam melhorar as condições profissionais ou buscar novas oportunidades e 17% sonham em encontrar um novo parceiro. Saúde vem em terceiro lugar e 45% dos entrevistados esperam que 2015 seja o ano para ficar mais tranquilo e relaxado, 40% pretendem fazer exercícios e 33% ter uma dieta balanceada.

Ainda que os brasileiros considerem que melhorar sua vida financeira seja prioridade, chama a atenção o fato de que, quando se pergunta o que farão com o 13º salário, primeiro vão investir em presentes (15%), depois em roupas e calçados (14%) e, somente em terceiro lugar, vão pagar dívidas (12%) cujo porcentual está no mesmo patamar que poupança e investimentos (12%).

Em relação aos presentes de Natal, as roupas/sapatos, os brinquedos e os perfumes lideram a preferência, com 56%, 42% e 36% respectivamente. Alinhados com a economia, os brasileiros darão menos celulares e tablets de presente em comparação a 2013.

As mulheres estão gastando mais neste natal, compram menos presentes, mas investem em agrados mais caros. O orçamento médio de investimento dos homens no total de presentes é R$ 1.138,00 enquanto o feminino é R$ 2.118,00.

Em relação ao meio de pagamento, 45% preferem pagar em dinheiro, 36% optam pelo cartão de crédito e 19% em débito. A internet influencia fortemente na decisão de qual presente comprar: 69% navegam nas páginas da internet das marcas antes da compra, 32% são impactados por propaganda na loja, 30% anúncio em TV e 29% em redes sociais.

E as mães serão as mais presenteadas neste natal, com 62%. Em segundo lugar vem o parceiro (marido ou noivo) com 58%, outros membros da família representam 54% e filhos 46%.

Apesar da situação econômica, os brasileiros têm motivos para comemorar e nesta época entra em cena o aumento no consumo de champagne, com 60% da preferência e cidra, 32%.

A pesquisa foi realizada nas primeiras semanas de dezembro, com 881 pessoas entre 18 e 65 anos em todo o Brasil.