A indústria farmacêutica está diante de uma nova revolução. Reeditando o desempenho de remédios icônicos que se tornaram marcos históricos para o mercado, como o Prozac (antidepressivo), o Lipitor (que combate o colesterol alto) e o Viagra (contra a disfunção erétil), o Ozempic se transformou em um fenômeno global de vendas, com um potencial econômico capaz de mudar o status da empresa fabricante – a Novo Nordisk – e catapultar o Produto Interno Bruto (PIB) da Dinamarca, país-sede da companhia.

Remédio diminui a fome e regula o nível de açúcar. Foto: Getty Images

O princípio ativo do Ozempic é a semaglutida, que simula a ação do GLP-1, hormônio produzido pelo intestino que desencadeia uma série de reações bioquímicas e transmite ao cérebro uma sensação de saciedade.

Em linhas gerais, o remédio diminui a fome e regula o nível de açúcar no sangue. Popularmente conhecido como “canetinha azul”, é administrado com uma injeção subcutânea, de aplicação semanal.

Para ler a matéria completa do Portal Metrópoles, parceiro da Banda B, clique aqui

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Ozempic: como o remédio que faz emagrecer está engordando a economia

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.