O Mercado Livre anunciou nesta quinta (12) a abertura de cinco novos centros logísticos no Brasil. Até o início de 2021, serão três em São Paulo (dois em Cajamar e um em Guarulhos), um em Minas Gerais (Extrema) e outro em Santa Catarina (Governador Celso Ramos).

Eles se somam aos três já existentes, dois em São Paulo (Cajamar e Louveira) e um na Bahia (Lauro de Freitas). Serão acrescentados 340 mil metros quadros de armazenagem, totalizando 610 mil metros quadrados.

“Vamos continuar aumentando os centros de armazenamento e distribuição, os ‘service centers’ etc.”, disse à Folha de S.Paulo o presidente do Mercado Livre, Marcos Galperin. “Estamos fazendo realmente muitos, muitos investimentos no Brasil, em logística, e isso vai continuar.”

 

Foto: Divulgação

 

Os novos centros são parte do investimento que havia sido anunciado para o Brasil pela empresa sediada na Argentina, de R$ 4 bilhões neste ano, que abrangem ainda a ampliação, entre outras áreas, da frota de entregas.

As concorrentes mais próximos do Mercado Livre no país, as brasileiras Magazine Luiza (Magalu) e B2W (Submarino e Americanas), têm respectivamente 18 e 17 centros de distribuição.

Um dos novos centros em Cajamar iniciou operação na segunda (9). A exemplo dos quatro aviões de entrega anunciados na semana passada, ele reforça a empresa para a Black Friday, no próximo dia 27.

Leandro Bassoi, vice-presidente da Mercado Envios, o braço logístico do Mercado Livre, afirma que os investimentos beneficiam as comunidades no entorno e suas empresas. “Estamos trabalhando para apoiar os empreendedores de todo o Brasil”, diz.

Segundo ele, as novas operações devem dobrar o número de postos de trabalho diretos nos centros logísticos, para 13.500 vagas.