O mercado teve reação moderada à divulgação de suposta colaboração entre o ministro da Justiça e ex-juiz Sérgio Moro e o procurador da República Deltan Dallagnol. Apesar de deixar investidores cauteloso

sobre possíveis desdobramentos, a leitura é que as conversas divulgadas pelo site Intercept Brasil não impactam a reforma da Previdência.
A Bolsa brasileira chegou a cair cerca de 1% pela manhã desta segunda-feira (10), mas amenizou perdas e fechou com recuo de 0,36%, a 97.466 pontos. O dólar teve leve alta de 0,18%, a R$ 3,8850.

No primeiro pregão da semana de apresentação do relatório da reforma da Previdência, o noticiário foi dominado pela revelação das conversas entre Moro, um dos principais nomes do governo Bolsonaro, e Dallagnol. Para o Congresso, uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) contra o ministro é provável o que pode trazer ruídos ao governo.

Segundo o presidente da comissão especial, Marcelo Ramos (PL-AM, antigo PR), mesmo com a notícia, o calendário de apreciação da proposta segue inalterado. Na quinta-feira (13) o deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) apresenta seu relatório sobre a reforma, determinando quais pontos saem do projeto, além da definição se estados e municípios entram na proposta.

Tais definições determinam o tamanho da reforma e qual o valor economizado, determinante para o mercado, que aguarda entre R$ 700 bilhões e R$ 800 bilhões.

Stock market chart, Stock market data on LED display concept

DÓLAR
compra/venda
Câmbio livre BC – R$ 3,8784 / R$ 3,8790 **
Câmbio livre mercado – R$ 3,8830 / R$ 3,8850 *
Turismo – R$ 3,8400 / R$ 4,0400

(*) cotação média do mercado
(**) cotação do Banco Central

Variação do câmbio livre mercado
no dia: 0,18%

OURO BM&F
R$ 166,000

BOLSAS
Bovespa (Ibovespa)
Variação: -0,36%
Pontos: 97.466
Volume financeiro: R$ 11,171 bilhões
Maiores altas: BRF ON (3.98%), CSN ON (3.92%), Hypera ON (3.46%)
Maiores baixas: Cemig PN (-2.97%), Engie Brasil ON (-2.40%), Natura ON (-2.34%)

S&P 500 (Nova York): 0,47%
Dow Jones (Nova York): 0,30%
Nasdaq (Nova York): 1,05%
CAC 40 (Paris): 0,34%
Dax 30 (Frankfurt): 0,77%
Financial 100 (Londres): 0,59%
Nikkei 225 (Tóquio): 1,20%
Hang Seng (Hong Kong): 2,27%
Shanghai Composite (Xangai): 0,86%
Merval (Buenos Aires): 2,21%
IPC (México): 0,73%

ÍNDICES DE INFLAÇÃO

IPCA/IBGE
Abril 2018: 0,22%
Maio 2018: 0,40%
Junho 2018: 1,26%
Julho 2018: 0,33%
Agosto 2018: -0,09%
Setembro 2018: 0,48%
Outubro 2018: 0,45%
Novembro 2018: -0,21%
Dezembro 2018: 0,15%
Janeiro 2019: 0,32%
Fevereiro 2019: 0,43%
Março 2019: 0,75%
Abril 2019: 0,57%

INPC/IBGE
Abril 2018: 0,21%
Maio 2018: 0,43%
Junho 2018: 1,43%
Julho 2018: 0,25%
Agosto 2018: 0,00%
Setembro 2018: 0,30%
Outubro 2018: 0,40%
Novembro 2018: -0,25%
Dezembro 2018: 0,14%
Janeiro 2019: 0,36%
Fevereiro 2019: 0,54%
Março 2019: 0,77%
Abril 2019: 0,60%

IPC/Fipe
Abril 2018: -0,03%
Maio 2018: 0,19%
Junho 2018: 1,01%
Julho 2018: 0,23%
Agosto 2018: 0,41%
Setembro 2018: 0,39%
Outubro 2018: 0,48%
Novembro 2018: 0,15%
Dezembro 2018: 0,09%
Janeiro 2019: 0,58%
Fevereiro 2019: 0,54%
Março 2019: 051%
Abril 2019: 0,29%

IGP-M/FGV
Maio 2018: 1,38%
Junho 2018: 1,87%
Julho 2018: 0,51%
Agosto 2018: 0,70%
Setembro 2018: 1,52%
Outubro 2018: 0,89%
Novembro 2018: -0,49%
Dezembro 2018: -1,08%
Janeiro 2019: 0,01%
Fevereiro 2019: 0,88%
Março 2019: 1,26%
Abril 2019: 0,92%
Maio 2019: 0,45%

IGP-DI/FGV
Abril 2018: 0,93%
Maio 2018: 1,64%
Junho 2018: 1,48%
Julho 2018: 0,44%
Agosto 2018: 0,68%
Setembro 2018: 1,79%
Outubro 2018: 0,26%
Novembro 2018: -1,14%
Dezembro 2018: -0,45%
Janeiro 2019: 0,07%
Fevereiro 2019: 1,25%
Março 2019: 1,07%
Abril 2019: 0,90%

SALÁRIO MÍNIMO
Janeiro 2019: R$ 998,00