O aumento consecutivo no volume das locações comerciais é um bom sinal de recuperação econômica. Segundo o novo levantamento do Instituto Paranaense de Pesquisa e Desenvolvimento do Mercado Imobiliário e Condominial (Inpespar), integrante do Sistema Secovi-PR, a estimativa de locação de imóveis comerciais em Curitiba apresentou um aumento de 22,1% no mês de setembro, em comparação com o resultado de agosto. O estudo é produzido mensalmente e utiliza dados das empresas associadas.

“Estamos diante do melhor resultado registrado, em relação à estimativa de locação comercial, desde que iniciamos essa pesquisa, em outubro de 2012”, explica o presidente do Inpespar e vice-presidente de Economia e Estatística do Secovi-PR, Jean Michel Galiano.

Foto ilustrativa

Observando o 3º trimestre de 2020, o volume desses imóveis negociados no período é 12,2% maior que o registrado no 3º trimestre de 2019 e 124,5% maior do que conferido no 2º trimestre de 2020. “O 2º trimestre foi o período no qual sofremos o maior impacto no mercado, por conta da pandemia, então o que os indicadores nos mostram é uma retomada da economia”, explica o vice-presidente de Locações do Secovi-PR, Leonardo Baggio.

O índice de desocupação comercial também reforça essa argumentação pois, em setembro, o estudo apresentou uma queda da ordem de 26% em relação ao mês de agosto. “O volume de desocupação comercial de setembro ficou abaixo da média registrada tanto no primeiro semestre de 2020 quanto no primeiro semestre de 2019”, compara Galiano.

Mediação

Segundo Baggio, o Índice Geral de Preços do Mercado (IGPM), utilizado para reajustar os valores dos contratos de locação anualmente, mantinha-se em estabilidade, mas nos últimos meses disparou e apenas na variação do último mês apresentou um aumento de 4,34%.

“Essa variação chega a ser maior, inclusive, do que o registrado em anos anteriores e bem acima do que a variação de outros indicadores que mensuram a inflação, como o IPC, que no acumulado dos últimos 12 meses está em 3,62%, enquanto o IGPM no período está em 17,94%”.

Baggio ressalta que o papel das imobiliárias nesse momento será o de mediação, para manter o equilíbrio nas relações.

“Trabalhamos para conciliar interesses dos proprietários, mantendo seus rendimentos acima da inflação, e também os dos inquilinos, que é o de pagar um valor equilibrado no aluguel”. Ainda segundo ele, o Secovi-PR mantém seu papel de representação dos imobiliaristas, orientando e ajudando as associadas nas mediações e conciliações necessárias nesse momento, seja com o Pregão Mensal de Locação, com as consultas junto a entidade e até mesmo pelas capacitações oferecidas pela Unihab.