A Abimed, associação que representa a indústria de alta tecnologia de produtos para saúde, está levando aos parlamentares um novo estudo sobre efeitos da reforma do Imposto de Renda no PIS Cofins. A entidade diz que o texto tem mudanças embutidas que podem onerar o setor em quase R$ 1 bilhão ao ano.

Na opinião da Abimed, o modelo proposto poderia gerar um repasse de custos na cadeia de produtos de saúde, elevando os preços para usuários da rede privada e sobrecarregando o SUS.

Foto: Arnaldo Alves / ANPr.

Fernando Silveira Filho, presidente da associação, diz que pediu para se reunir com Celso Sabino, relator da reforma do IR, mas não houve encontro. “Não conseguimos diálogo e outras entidades do setor também não. O ideal seria que todos os setores pudessem se manifestar antes da apreciação, que está sendo acelerada”, afirma.

Segundo ele, a Abimed está agora em uma corrida para falar com os parlamentares antes da votação. O projeto de lei está na agenda da Câmara dos Deputados desta terça-feira (10).

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Empresas de produtos de saúde dizem que reforma tributária pode gerar repasses à rede privada e sobrecarregar o SUS

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.