O dólar voltou a subir nesta sexta-feira (16) e fechou a R$ 4,0050, ganho de 0,370%. Esta é a quinta semana seguida de alta da moeda americana, com valorização de 1,5% desde segunda (12). Desde que iniciou a trajetória de alta em julho, com a piora do cenário econômico, o dólar subiu 6,87%, saindo de R$ 3,73 para R$ 4.

Na quinta (15), a moeda cedeu 1,260% ante real e foi para R$ 3,99 com o anúncio de interferência do Banco Central. A instituição irá oferecer vendas de dólar à vista e contratos de swap cambial por uma semana, a partir da próxima quarta (21).

A intenção é oferecer mais liquidez do mercado e evitar uma disparada da moeda. Com o risco de recessão global, investidores buscam sair de aplicações de risco, como emergentes, para aplicações mais seguras, como títulos do tesouro americano. Em

apenas cinco pregões, de 8 a 14 de agosto, estrangeiros retiraram R$ 4 bilhões da Bolsa brasileira. No ano, há um déficit de R$ 18,8 bilhões.

Além da guerra comercial, que impacta a economia global, a crise na Argentina também contribui para a saída desses investidores do Brasil. Além de ser o terceiro maior parceiro econômico do país e, assim, ter impactos diretos na economia brasileira, a Argentina contagia o Brasil por estar no mesmo grupo de investimentos sob a ótica dos estrangeiros, os emergentes da América Latina.Co

m a piora no cenário global e regional, o risco-país do Brasil medido pelo CDS (Credit Defaut Swap), espécie de seguro contra calote, subiu 5% na semana e 10,5% no mês.

A Bolsa de Valores de São Paulo, no centro de São Paulo, no Brasil
09/05/2016
REUTERS/Paulo Whitaker/File photo

DÓLAR
compra/venda
Câmbio livre BC – R$ 3,9927 / R$ 3,9933 **
Câmbio livre mercado – R$ 4,0030 / R$ 4,0050 *
Turismo – R$ 3,9500 / R$ 4,1600

(*) cotação média do mercado
(**) cotação do Banco Central

Variação do câmbio livre mercado
no dia: 0,370%

OURO BM&F
R$ 204,00

BOLSAS
Bovespa (Ibovespa)
Variação: 0,76%
Pontos: 99.805
Volume financeiro: R$ 18,531 bilhões
Maiores altas: Hypera ON (5,95%), Rumo S.A. ON (4,65%), Petrobrás BR ON (4,16%)
Maiores baixas: Via Varejo ON (-7,41%), Braskem PN (-2,31%), Ultrapar ON (-2,25%)

S&P 500 (Nova York): 1,44%
Dow Jones (Nova York): 1,20%
Nasdaq (Nova York): 1,67%
CAC 40 (Paris): 1,22%
Dax 30 (Frankfurt): 1,31%
Financial 100 (Londres): 0,71%
Nikkei 225 (Tóquio): 0,06%
Hang Seng (Hong Kong): 0,94%
Shanghai Composite (Xangai): 0,28%
Merval (Buenos Aires): -2,04%
IPC (México): 1,98%

ÍNDICES DE INFLAÇÃO
IPCA/IBGE
Junho 2018: 1,26%
Julho 2018: 0,33%
Agosto 2018: -0,09%
Setembro 2018: 0,48%
Outubro 2018: 0,45%
Novembro 2018: -0,21%
Dezembro 2018: 0,15%
Janeiro 2019: 0,32%
Fevereiro 2019: 0,43%
Março 2019: 0,75%
Abril 2019: 0,57%
Maio 2019: 0,13%
Junho 2019: 0,01%

INPC/IBGE
Junho 2018: 1,43%
Julho 2018: 0,25%
Agosto 2018: 0,00%
Setembro 2018: 0,30%
Outubro 2018: 0,40%
Novembro 2018: -0,25%
Dezembro 2018: 0,14%
Janeiro 2019: 0,36%
Fevereiro 2019: 0,54%
Março 2019: 0,77%
Abril 2019: 0,60%
Maio 2019: 0,15%
Junho 2019: 0,01%

IPC/Fipe
Junho 2018: 1,01%
Julho 2018: 0,23%
Agosto 2018: 0,41%
Setembro 2018: 0,39%
Outubro 2018: 0,48%
Novembro 2018: 0,15%
Dezembro 2018: 0,09%
Janeiro 2019: 0,58%
Fevereiro 2019: 0,54%
Março 2019: 051%
Abril 2019: 0,29%
Maio 2019: -0,02%
Junho 2019: 0,15%

IGP-M/FGV
Junho 2018: 1,87%
Julho 2018: 0,51%
Agosto 2018: 0,70%
Setembro 2018: 1,52%
Outubro 2018: 0,89%
Novembro 2018: -0,49%
Dezembro 2018: -1,08%
Janeiro 2019: 0,01%
Fevereiro 2019: 0,88%
Março 2019: 1,26%
Abril 2019: 0,92%
Maio 2019: 0,45%
Junho 2019: 0,80%

IGP-DI/FGV
Junho 2018: 1,48%
Julho 2018: 0,44%
Agosto 2018: 0,68%
Setembro 2018: 1,79%
Outubro 2018: 0,26%
Novembro 2018: -1,14%
Dezembro 2018: -0,45%
Janeiro 2019: 0,07%
Fevereiro 2019: 1,25%
Março 2019: 1,07%
Abril 2019: 0,90%
Maio 2019: 0,40%
Junho 2019: 0,63%

SALÁRIO MÍNIMO
Janeiro 2019: R$ 998,00