O dólar fechou nesta segunda-feira, 2, no menor nível em dez dias, em baixa de 0,68%, a R$ 4,2119. A segunda-feira foi marcada por queda do dólar ante a maioria das divisas, em meio a renovados temores sobre os rumos das negociações comerciais entre Estados Unidos e China após a decisão de Donald Trump de taxar o aço do Brasil e da Argentina. A nova revisão nos números da balança comercial, anunciada hoje à tarde pelo ministério da Economia, que aumentou as exportações brasileiras dos últimos três meses em US$ 6,5 bilhões, também ajudou a fortalecer o real, que teve um dos melhores desempenhos hoje no mercado internacional de moedas.

O dólar fechou perto das mínimas do dia, que foi de R$ 4,2114. Logo pela manhã, a moeda americana foi às máximas, a R$ 4,25 em meio às dúvidas causadas pela mensagem postada por Trump no Twitter, que acusou o Brasil e a Argentina de desvalorizarem suas moedas para tornar o aço mais competitivo.

O economista do ING, especialista em comércio internacional, Timme Spakman, observa que a visão do presidente americano sobre a moeda brasileira e argentina está equivocada. “Em nossa visão, não são autoridades brasileiras e argentinas as responsáveis pela fraqueza das moedas, mas as forças de mercado”, avalia ele. Para o economista, a China vai avaliar a decisão de Trump sobre o Brasil e a Argentina “de perto”, pois os dois países já haviam fechado acordo com a Casa Branca sobre o aço no ano passado. As autoridades de Pequim devem estar se perguntando sobre o quão longe podem ir com as negociações comerciais, sabendo que um acordo pode ter vida curta, ressalta ele.

Para Cleber Alessie Machado Neto, operador de câmbio da H Commcor DTVM, o dia no mercado cambial foi de correção, seguindo o movimento dos ativos americanos. Tanto nas bolsas americanas quanto europeias, a primeira etapa do pregão foi no terreno negativo. “Os dados ruins da economia dos Estados Unidos e a continuidade das incertezas sobre a guerra comercial ativaram a correção das bolsas e do próprio dólar, que caiu contra praticamente todas as divisas, tanto fortes quanto de emergentes”, disse Neto.

A Bolsa de Valores de São Paulo, no centro de São Paulo, no Brasil
09/05/2016
REUTERS/Paulo Whitaker/File photo

DÓLAR
compra/venda
Câmbio livre BC – R$ 4,2255 / R$ 4,2261 **
Câmbio livre mercado – R$ 4,2160 / R$ 4,2180 *
Turismo – R$ 4,1800 / R$ 4,4300

(*) cotação média do mercado
(**) cotação do Banco Central

Variação do câmbio livre mercado
no dia: -0,540%

BOLSAS
Bovespa (Ibovespa)
Variação: 0,64%
Pontos: 108.927
Volume financeiro: R$ 16,935 bilhões
Maiores altas: CSN ON (5,73%), Intermedica ON (4,41%), B2W Digital (4,37%)
Maiores baixas: Qualicorp ON (-2,72%), RaiaDrogasil ON (-2,65%), Smiles ON (-2,45%)

S&P 500 (Nova York): -0,86%
Dow Jones (Nova York): -0,96%
Nasdaq (Nova York): -1,13%
CAC 40 (Paris): -2,01%
Dax 30 (Frankfurt): -2,05%
Financial 100 (Londres): -0,82%
Nikkei 225 (Tóquio): 1,01%
Hang Seng (Hong Kong): 0,37%
Shanghai Composite (Xangai): 0,13%
CSI 300 (Xangai e Shenzhen): 0,19%
Merval (Buenos Aires): -3,05%
IPC (México): -0,64%

ÍNDICES DE INFLAÇÃO
IPCA/IBGE
Outubro 2018: 0,45%
Novembro 2018: -0,21%
Dezembro 2018: 0,15%
Janeiro 2019: 0,32%
Fevereiro 2019: 0,43%
Março 2019: 0,75%
Abril 2019: 0,57%
Maio 2019: 0,13%
Junho 2019: 0,01%
Julho 2019: 0,19%
Agosto 2019: 0,11%
Setembro 2019: -0,04%
Outubro 2019: 0,10%

INPC/IBGE
Outubro 2018: 0,40%
Novembro 2018: -0,25%
Dezembro 2018: 0,14%
Janeiro 2019: 0,36%
Fevereiro 2019: 0,54%
Março 2019: 0,77%
Abril 2019: 0,60%
Maio 2019: 0,15%
Junho 2019: 0,01%
Julho 2019: 0,10%
Agosto 2019: 0,12%
Setembro 2019: -0,05%
Outubro 2019: 0,04%

IPC/Fipe
Outubro 2018: 0,48%
Novembro 2018: 0,15%
Dezembro 2018: 0,09%
Janeiro 2019: 0,58%
Fevereiro 2019: 0,54%
Março 2019: 051%
Abril 2019: 0,29%
Maio 2019: -0,02%
Junho 2019: 0,15%
Julho 2019: 0,14%
Agosto 2019: 0,33%
Setembro 2019: 0,00%
Outubro 2019: 0,16%

IGP-M/FGV
Novembro 2018: -0,49%
Dezembro 2018: -1,08%
Janeiro 2019: 0,01%
Fevereiro 2019: 0,88%
Março 2019: 1,26%
Abril 2019: 0,92%
Maio 2019: 0,45%
Junho 2019: 0,80%
Julho 2019: 0,40%
Agosto 2019: -0,67%
Setembro 2019: -0,01%
Outubro 2019: 0,68%
Novembro 2018: 0,30%

IGP-DI/FGV
Outubro 2018: 0,26%
Novembro 2018: -1,14%
Dezembro 2018: -0,45%
Janeiro 2019: 0,07%
Fevereiro 2019: 1,25%
Março 2019: 1,07%
Abril 2019: 0,90%
Maio 2019: 0,40%
Junho 2019: 0,63%
Julho 2019: -0,01%
Agosto 2019: -0,51%
Setembro 2019: 0,50%
Outubro 2019: 0,55%

SALÁRIO MÍNIMO
Janeiro 2019: R$ 998,00