A Bolsa brasileira voltou ao patamar dos 98 mil pontos nesta terça-feira (11), próximo ao pico histórico, quando atingiu os 100 mil pontos durante o pregão nos dias 18 e 19 de março.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que irá “blindar a Câmara de qualquer crise”, sem fazer referência direta ao caso das mensagens entre o ministro Sergio Moro (Justiça) e procuradores da Lava Jato na época que era juiz.

O mercado, que aposta na independência das reformas, abandonou a cautela da véspera. O Ibovespa fechou a 98.960 pontos, maior valor desde a máxima histórica. O dólar acompanhou o viés positivo e cedeu 0,90%, a R$ 3,8500, menor patamar desde abril.

A alta do índice foi puxada pelas ações de Vale e CSN. Os papéis da mineradora, que compõem 9,8% do índice, registraram alta de 6,39% a R$ 51,44, maior patamar desde abril. A siderúrgica teve alta de 5,68%, a R$ 18,22.

As companhias acompanharam a valorização do minério de ferro, cujo contrato mais ativo subiu 4% nesta terça, a US$ 107,79. O valor é próximo da máxima do ano, de US$ 109,98.

A Bolsa de Valores de São Paulo, no centro de São Paulo, no Brasil – 09/05/2016 – REUTERS/Paulo Whitaker/File photo

DÓLAR
compra/venda
Câmbio livre BC – R$ 3,8658 / R$ 3,8664 **
Câmbio livre mercado – R$ 3,8480 / R$ 3,8500 *
Turismo – R$ 3,8200 / R$ 4,0200

(*) cotação média do mercado
(**) cotação do Banco Central

Variação do câmbio livre mercado
no dia: -0,90%

OURO BM&F
R$ 163,110

BOLSAS
Bovespa (Ibovespa)
Variação: 1,53%
Pontos: 98.960
Volume financeiro: R$ 16,959 bilhões
Maiores altas: Vale ON (6,39%), CSN ON (5,68%), Bradespar PN (5,58%)
Maiores baixas: IRB Brasil ON (-1,69%), Via Varejo ON (-1,19%), Estácio ON (-1,17%)

S&P 500 (Nova York): -0,03%
Dow Jones (Nova York): -0,05%
Nasdaq (Nova York): -0,01%
CAC 40 (Paris): 0,48%
Dax 30 (Frankfurt): 0,92%
Financial 100 (Londres): 0,31%
Nikkei 225 (Tóquio): 0,33%
Hang Seng (Hong Kong): 0,76%
Shanghai Composite (Xangai): 2,58%
Merval (Buenos Aires): 5,02%
IPC (México): 0,24%

ÍNDICES DE INFLAÇÃO

IPCA/IBGE
Abril 2018: 0,22%
Maio 2018: 0,40%
Junho 2018: 1,26%
Julho 2018: 0,33%
Agosto 2018: -0,09%
Setembro 2018: 0,48%
Outubro 2018: 0,45%
Novembro 2018: -0,21%
Dezembro 2018: 0,15%
Janeiro 2019: 0,32%
Fevereiro 2019: 0,43%
Março 2019: 0,75%
Abril 2019: 0,57%

INPC/IBGE
Abril 2018: 0,21%
Maio 2018: 0,43%
Junho 2018: 1,43%
Julho 2018: 0,25%
Agosto 2018: 0,00%
Setembro 2018: 0,30%
Outubro 2018: 0,40%
Novembro 2018: -0,25%
Dezembro 2018: 0,14%
Janeiro 2019: 0,36%
Fevereiro 2019: 0,54%
Março 2019: 0,77%
Abril 2019: 0,60%

IPC/Fipe
Abril 2018: -0,03%
Maio 2018: 0,19%
Junho 2018: 1,01%
Julho 2018: 0,23%
Agosto 2018: 0,41%
Setembro 2018: 0,39%
Outubro 2018: 0,48%
Novembro 2018: 0,15%
Dezembro 2018: 0,09%
Janeiro 2019: 0,58%
Fevereiro 2019: 0,54%
Março 2019: 051%
Abril 2019: 0,29%

IGP-M/FGV
Maio 2018: 1,38%
Junho 2018: 1,87%
Julho 2018: 0,51%
Agosto 2018: 0,70%
Setembro 2018: 1,52%
Outubro 2018: 0,89%
Novembro 2018: -0,49%
Dezembro 2018: -1,08%
Janeiro 2019: 0,01%
Fevereiro 2019: 0,88%
Março 2019: 1,26%
Abril 2019: 0,92%
Maio 2019: 0,45%

IGP-DI/FGV
Abril 2018: 0,93%
Maio 2018: 1,64%
Junho 2018: 1,48%
Julho 2018: 0,44%
Agosto 2018: 0,68%
Setembro 2018: 1,79%
Outubro 2018: 0,26%
Novembro 2018: -1,14%
Dezembro 2018: -0,45%
Janeiro 2019: 0,07%
Fevereiro 2019: 1,25%
Março 2019: 1,07%
Abril 2019: 0,90%

SALÁRIO MÍNIMO
Janeiro 2019: R$ 998,00