Julho foi um mês morno para a Bolsa brasileira, que, mesmo batendo recordes, teve leve alta de apenas 0,84%. A aprovação da reforma da Previdência, com ampla margem de votos, em primeiro turno na Câmara não foi o suficiente para manter o viés de alta e nem para reter os estrangeiros.

O período tem a maior retirada de capital do exterior desde outubro de 2018. O saldo é negativo em R$ 5,15 bilhões, segundo dados preliminares da B3. Em 2019, a saída é de R$ 9 bilhões.

A primeira semana de julho foi uma das melhores do ano, com alta de 3%. No período, a Bolsa foi de 100 mil a 104 mil pontos com a aprovação do texto-base da reforma da Previdência, que prevê uma economia de R$ 1 trilhão em dez anos, na comissão especial da Câmara.

Na semana seguinte, mesmo com a aprovação da reforma em primeiro turno no plenário da casa, o índice iniciou sua trajetória de queda.

No dia da votação projeto, 10 de julho, a Bolsa bateu dois novos recordes. Durante ao pregão, o Ibovespa cravou nova máxima, em 106.650 pontos. No fechamento, o recorde histórico também foi renovado, a 105.817 pontos.

“Quem está segurando o Ibovespa é o investidor doméstico e o institucional. Os estrangeiros estão se posicionando em ativos da Ásia, que são mais seguros. O gringo não vai tomar o risco de entrar na Bolsa agora. Ele pode perder essa primeira pernada, mas o ciclo estrangeiro é mais longo, de dois, três anos”, afirma Rafael Passos, analista da Guide Investimentos.

Nas demais semanas de julho, com o recesso parlamentar, o índice passou a acompanhar mais de perto o cenário externo e acumulou quedas, terminando no patamar de 101 mil pontos. No saldo do mês, o Ibovespa registra alta de 0,84% em julho.

Stock market chart, Stock market data on LED display concept

DÓLAR
compra/venda
Câmbio livre BC – R$ 3,7643 / R$ 3,7649 **
Câmbio livre mercado – R$ 3,8160 / R$ 3,8180 *
Turismo – R$ 3,7600 / R$ 3,9600

(*) cotação média do mercado
(**) cotação do Banco Central

Variação do câmbio livre mercado
no dia: 0,71%

OURO BM&F
R$ 179,90

BOLSAS
Bovespa (Ibovespa)
Variação: – 1,09%
Pontos: 101.812
Volume financeiro: R$ 19,122 bilhões
Maiores altas: Smiles ON (4,31%), Lojas Americanas PN (4,13%), B2W Digital ON (3,69%)
Maiores baixas: Bradesco ON (-3,39%), Hypera ON (-3,27%), Itaú Unibanco (-2,66%)

S&P 500 (Nova York): -1,09%
Dow Jones (Nova York): -1,23%
Nasdaq (Nova York): -1,19%
CAC 40 (Paris): 0,14%
Dax 30 (Frankfurt): 0,34%
Financial 100 (Londres): -0,78%
Nikkei 225 (Tóquio): -0,87%
Hang Seng (Hong Kong): -1,31%
Shanghai Composite (Xangai): -0,67%
Merval (Buenos Aires): -1,08%
IPC (México): -0,72%

ÍNDICES DE INFLAÇÃO
IPCA/IBGE
Junho 2018: 1,26%
Julho 2018: 0,33%
Agosto 2018: -0,09%
Setembro 2018: 0,48%
Outubro 2018: 0,45%
Novembro 2018: -0,21%
Dezembro 2018: 0,15%
Janeiro 2019: 0,32%
Fevereiro 2019: 0,43%
Março 2019: 0,75%
Abril 2019: 0,57%
Maio 2019: 0,13%
Junho 2019: 0,01%

INPC/IBGE
Junho 2018: 1,43%
Julho 2018: 0,25%
Agosto 2018: 0,00%
Setembro 2018: 0,30%
Outubro 2018: 0,40%
Novembro 2018: -0,25%
Dezembro 2018: 0,14%
Janeiro 2019: 0,36%
Fevereiro 2019: 0,54%
Março 2019: 0,77%
Abril 2019: 0,60%
Maio 2019: 0,15%
Junho 2019: 0,01%

IPC/Fipe
Junho 2018: 1,01%
Julho 2018: 0,23%
Agosto 2018: 0,41%
Setembro 2018: 0,39%
Outubro 2018: 0,48%
Novembro 2018: 0,15%
Dezembro 2018: 0,09%
Janeiro 2019: 0,58%
Fevereiro 2019: 0,54%
Março 2019: 051%
Abril 2019: 0,29%
Maio 2019: -0,02%
Junho 2019: 0,15%

IGP-M/FGV
Junho 2018: 1,87%
Julho 2018: 0,51%
Agosto 2018: 0,70%
Setembro 2018: 1,52%
Outubro 2018: 0,89%
Novembro 2018: -0,49%
Dezembro 2018: -1,08%
Janeiro 2019: 0,01%
Fevereiro 2019: 0,88%
Março 2019: 1,26%
Abril 2019: 0,92%
Maio 2019: 0,45%
Junho 2019: 0,80%

IGP-DI/FGV
Junho 2018: 1,48%
Julho 2018: 0,44%
Agosto 2018: 0,68%
Setembro 2018: 1,79%
Outubro 2018: 0,26%
Novembro 2018: -1,14%
Dezembro 2018: -0,45%
Janeiro 2019: 0,07%
Fevereiro 2019: 1,25%
Março 2019: 1,07%
Abril 2019: 0,90%
Maio 2019: 0,40%
Junho 2019: 0,63%

SALÁRIO MÍNIMO
Janeiro 2019: R$ 998,00