As medidas de contenção do novo coronavírus fizeram com que a atividade econômica brasileira despencasse 5,90% em março, segundo o indicador IBC-Br do Banco Central divulgado nesta sexta-feira (15).

Em fevereiro, o índice mostrava crescimento de 0,35% na atividade econômica.

O número foi calculado com ajuste sazonal (que remove particularidades do período, como número de dias úteis, por exemplo) para facilitar a comparação com outros meses.

Na comparação com março de 2019, a atividade do setor produtivo do país caiu 1,52%. No primeiro trimestre do ano, houve retração de 1,95%.

Já no acumulado dos últimos 12 meses, o índice registrou alta de 0,75%.

Na segunda quinzena de março, começaram a ser impostas restrições à circulação de pessoas para tentar conter o avanço da pandemia de Covid-19. Com as pessoas em casa e o comércio fechado, a tendência é que a atividade econômica se retraia ainda mais nos próximos meses.

Na última quarta-feira (13), a projeção oficial do governo para o PIB (Produto Interno Bruto) deste ano foi revisada pelo governo, de alta de 0,02% para retração de 4,7%.

O IBC-Br mede a atividade econômica do país e é divulgado desde março de 2010. Ele foi criado para auxiliar em decisões de política monetária, já que não existe outro dado mensal de desempenho do setor produtivo.