Aposentados e pensionistas do INSS devem refazer suas contas sem um 14º salário. Na última semana, o projeto de lei que prevê a autorização para um pagamento extra aos segurados do Instituto Nacional do Seguro Social foi finalizado. No entanto, de acordo com especialistas previdenciários, a pauta não deverá entrar em vigor ainda a tempo de conceder os pagamentos este ano.

Foto Pixabay

Em tramitação no Senado, o Projeto de Lei n° 3657, que cria um 14º salário para segurados do INSS, pode acabar ficar mesmo para o ano que  vem. A proposta do texto era de que os aposentados e pensionistas recebessem em dobro o abono em 2020, em razão da pandemia do novo coronavírus. Porém, agora já sem recursos a aprovação deve acontecer só em 2021.

Lembrando que o governo federal já concedeu os pagamentos do 13º ainda no primeiro semestre.

A ideia inicial era que com a quantia em conta os segurados pudessem movimentar a economia nacional.

Pauta em atraso

Apesar do texto do projeto já ter sido finalizado, analistas previdenciários acreditam que ele não será aprovado a tempo de conceder o pagamento.

Desse modo, muitos recomendam que os segurados não contem com essa quantia, tendo em vista a grande possibilidade de ela não ser viabilizada.

Segundo o senador Paulo Paim, autor do projeto e relator da proposta na Comissão de Direitos Humanos, existe uma dificuldade de aprovar o texto este ano, já que a medida precisa ser colocada em pauta no Colégio de Líderes.

Questionada sobre a possibilidade orçamentária para pagamento do abono dobrado, a Secretaria de Previdência informou que “não há qualquer estudo sobre o tema”.

*com informações do Portal FDR