A Escola Especial Vivian Marçal está pedindo ajuda com contribuições em uma vaquinha milionária que tem o objetivo de arrecadar recursos e evitar que as unidades dos bairros Centro e Mercês, em Curitiba, sejam definitivamente fechadas. O objetivo, segundo o grupo, é levantar recursos até o dia 5 de julho. Atualmente, cerca de 240 alunos com deficiência física neuromotora são atendidos pela rede.

escola-vivian-marcal-merces
Fachada da Escola Especial Vivian Marçal no bairro Mercês. Foto: Reprodução/Google Street View

O grupo explica que a vaquinha é necessária devido “a dívidas trabalhistas antigas e bloqueios em contas” provocadas por más gestões anteriores. Mais de meio milhão de reais foi pago à Secretaria da Educação do Estado do Paraná (Seed) visando sanar os problemas, mas o valor ainda é pequeno perto do que a instituição precisa.

A Associação do Deficiente Motor mantém, há 47 anos, as escolas Vivian Marçal, no Centro e no Mercês. A gente desenvolve o trabalho na área pedagógica, na área da saúde, com os atendimentos clínicos de fono, terapia ocupacional, psicologia, neurologista. Há todo um acompanhamento para seus estudantes e suas famílias, que são tão importantes. Agora, a gente corre um risco de ter que fechar as portas pelo fato de que estamos com muitas ações trabalhistas, que já vêm ao longo de alguns anos, já vêm de uma gestão anterior.

Fernanda de Carvalho Sudbrack, diretora unidade Mercês.

Parte dos recursos arrecadados também pode beneficiar muitos dos 89 funcionários que estão com três meses de salários atrasados desde 2021.

Precisamos resolver essas situações das ações trabalhistas, é um montante de dinheiro muito grande, é um valor muito grande, e a gente está pedindo ajuda da comunidade. Contamos com a ajuda de todos, com doações à nossa vaquinha, com doações pelo PIX, da instituição, da associação, para poder resolver, solucionar esses processos todos que temos, e de fato poder dar continuidade ao atendimento de uma experiência que as escolas Vivian Marçal fazem há tantos anos.

Fernanda de Carvalho Sudbrack, diretora unidade Mercês.

Além de Curitiba, a rede possui escolas nas cidades de Almirante Tamandaré, Campo Magro, Colombo e São Jose dos Pinhais. Clique aqui para acessar a vaquinha e contribuir com a instituição.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Tradicional escola especial de Curitiba pede ajuda em vaquinha milionária para evitar que unidades sejam fechadas

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.