A 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) aumentou a pena da ex-policial civil Kátia das Graças Belo de 14 anos e 3 meses para 18 anos e 9 meses de prisão. Ela foi condenada em maio de 2022 pela morte de copeira Rosaira Miranda da Silva, baleada com um tiro na cabeça durante festa de confraternização. Kátia assumiu o disparo, mas afirmou que não teve intenção de matar Rosaira. O recurso foi julgado nesta quinta-feira (5).

Rosaira e Katia (Reprodução)

De acordo com o advogado Edson Luiz Facchi, o pedido de aumento foi feito pelo Ministério Público do Paraná (MPPR) e foi acatado pelos desembargadores.

“A família da Rosaira sai deste julgamento com um pouco mais de alívio, vendo que a esperança se confirmou no TJ”, disse à Banda B.

O crime

Rosaira participava de uma confraternização em 23 de dezembro de 2016, na Rua Mateus Leme, no Centro Cívico. Irritada com o barulho, Kátia realizou um disparo de arma de fogo que atingiu a cabeça da vítima.

Além do homicídio, o Conselho de Sentença reconheceu na ocasião duas qualificadoras: a do motivo fútil e a impossibilidade de defesa por parte da vítima.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

TJPR aumenta pena de ex-policial civil condenada pela morte de copeira em Curitiba

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.