Contrários ao projeto de lei que pode terceirizar a gestão de 200 escolas, manifestantes romperam os portões e ocuparam as galerias da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) no começo da tarde desta segunda-feira (3). A entrada aconteceu por volta das 14h30. Bombas foram utilizadas para tentar conter o ato.

image-1
Foto: Marcelo Borges – Banda B

O projeto que cria o Programa Parceiro da Escola está previsto para acontecer em duas sessões nesta segunda-feira (3): uma ordinária e outra extraordinária.

De acordo com o Governo do Estado, o programa visa otimizar a gestão administrativa e de infraestrutura das escolas mediante parceria com empresas de gestão educacional.

O texto, que tramita em regime de urgência, permite que empresas sejam responsáveis pelo gerenciamento administrativo das escolas, além de gerir terceirizados responsáveis por áreas como limpeza e segurança. Em um primeiro momento, o governo quer implantar o modelo em 200 escolas de 110 cidades. O número corresponde a cerca de 10% da rede.

À Banda B, o deputado Professor Lemos (PT) disse que vai pedir a retirada do projeto.

“Ele não é de interesse público. É um projeto que vai prejudicar e muito nossas escolas, por isso a revolta. A escola pública corre risco com esse projeto, que entrega parte dos recursos a empresários, o que reduziria os investimentos em até 12%. Isso retira a transparência, uma vez que essas empresas não precisam prestar contas”, disse.

Mais informações em breve.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Contra projeto que terceiriza gestão das escolas, manifestantes rompem portões e ocupam galerias da Assembleia

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.