O morador de rua Carlos Merlini Netto denunciou à Banda B que ele e outras pessoas em situação de rua na região do Mercado Municipal de Curitiba estariam sendo vítimas de ataques a “bomba” há meses. O último episódio teria acontecido na madrugada desta terça-feira (02).

Um carro Fiat Siena de cor prata passou pela região e os ocupantes teriam jogado contra os moradores de rua cerca de dez “bombas”.

Foto: Daniel Castellano / SMCS

“Essa noite soltaram várias bombas em cima da população de rua de Curitiba. Não sei se é bomba de efeito moral, o que é, ninguém nunca consegue encontrar vestígios. Tenho minha esposa no local, várias outras mulheres dormem ali e todo mundo ficou assustado esperando esse carro passar”, contou Carlos.

O morador disse ainda que já denunciou o caso à Polícia Civil e que muitas pessoas têm medo de ir até a delegacia fazer o mesmo. A Defensoria Pública do Paraná também já foi acionada.

Defensoria

O Núcleo da Cidadania e Direitos Humanos da Defensoria Pública do Estado do Paraná (DPE-PR) informou que chegou ao conhecimento da instituição, em abril deste ano, uma denúncia sobre um episódio semelhante ao narrado. Contudo, na época do atendimento não havia maiores informações nem dados suficientes que pudessem embasar eventuais medidas de responsabilização, e o denunciante foi instruído também a buscar o atendimento da Polícia Civil.

O Núcleo ressalta que, a partir desta nova denúncia, serão analisados os elementos que possam auxiliar na tomada de providências e avaliar as medidas cabíveis. Em caso de prática de crime, a Defensoria Pública orienta que a vítima também busque a Polícia Civil para registrar a ocorrência, instituição que têm atribuição para investigar denúncias criminais.

A reportagem da Banda B entrou em contato com a Polícia Civil que informou ainda não ter sido notificada sobre o caso.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Moradores de rua da região do Mercado Municipal de Curitiba denunciam ser alvos de ataques a “bomba”

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.