Com cerca de 100 lojas em Curitiba, Região Metropolitana e Litoral, a Sorvetes Bapka é conhecida por milhares de pessoas e são inúmeros sabores, que vão de algodão doce até picolés feitos com açaí. No site da empresa há 117 opções de sorvete. A empresa, que é referência no Estado, começou nos anos 90 e tudo começou há cerca de 30 anos.

Bapka é referência no mercado de sorvetes. Foto: Divulgação Bapka Bigorrilho

Com as ondas de calor que atingem diversas cidades do Brasil, os sorvetes voltaram a ser procurados nas distribuidoras e supermercados. Neste sábado (23), inclusive, é comemorado o Dia do Sorvete. Pensando nessa data especial, nada melhor do que contar um pouco da história de uma das empresas de maior sucesso no Paraná: a Bapka.

Em entrevista ao jornalista Antonio Nascimento no quadro Negócio Que Deu Certo, da Rádio Banda B, o diretor comercial da Bapka Valdir Luiz do Carmo e a gerente de marketing Camila do Carmo, contaram com detalhes como funciona o trabalho da empresa, que ingressou no mercado com a execução de um sorvete cremoso e com preço acessível.

A Bapka começou no bairro Abranches, em Curitiba. Atualmente, neste local funciona a loja da empresa, que conta com um sistema autosserviço, brinquedos e uma Casa de Sopas. Uma invenção curitibana da gema: frio com bufê de sopa e sorvete. A produção da Bapka está em Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba e possui capacidade para fabricar 3 mil litros de sorvete por hora.

Como tudo começou?

Bapka evoluiu muito nos últimos anos. Foto: Divulgação

Com o tempo, a Bapka se tornou uma das marcas mais queridas na região de Curitiba. Valdir Luiz contou à Banda B que está trabalhando na empresa há 24 anos. A história dele começou com a venda de doces na rua.

“Eu vendia doces na rua, a empresa já existia em 1999 mas tava bem no comecinho,. Eu conheci o Luiz Carlos Varela (fundador da Bapka) na rua, dai ele me convidou para que em um dia que eu tinha disponível, eu fizesse um atendimento em Colombo. Dali para cá estamos trabalhando juntos. Com muito orgulho, faço com muito carinho o atendimento aos clientes”, diz

Nas ruas, Valdir costumava vender doces de abóbora, geleias e canudinhos. Em suas primeiras experiências com a Bapka, ele conseguiu atrair mais clientes. A empresa já opera em Curitiba desde 2001.

“Eu fazia entregas na praia, fizemos de tudo. A gente é meio polivalente. O que precisava a gente estava fazendo lá. Eu fazia isso porque eu gostava que o cliente saísse bem atendido”

Camila é filha de Valdir e contou que acompanhou o pai desde o início na trajetória na sorveteria. Atualmente, ela trabalha no marketing para um projeto de expansão.

Quando tudo começou na Bapka, Valdir conta que não havia nenhum material de propaganda. No início, a estratégia era colar cada pacotinho de picolé em um cartaz como se fosse um panfleto. Deu certo! Os clientes eram conquistados nas ruas.

“Comecei com esse cartaz e eu chegava nos clientes para mostrar. A gente tem que trabalhar com aquilo que tem na mão. Tem que mostrar a força que tem no trabalho e desenvolver a partir da ferramenta que você tem na mão”

Receitas e expansão

A excelência em agregar qualidade a um preço acessível a todas as classes e levando um pouco dessa alegria ao lar de todas as famílias. Esse é um dos lemas da Bapka nos negócios. Apesar de ter mais de 100 lojas no Paraná, o plano é para que a empresa possa expandir pelo Sul do país.

“Consumo per capita de sorvete aqui (Sul) é mais do que nos outros estados. Quando está 27 graus aqui nós estamos vendendo adoidados. Se tiver 30 graus a gente vende mais. No inverno tem que preparar, organizar, arrumar toda a logística. No próximo verão você pega mais clientes para aumentar o volume de venda”, explicou Valdir

Camila contou que para que o sorvete Bapka mantenha a sua identidade, o fundador da empresa, Luiz Varela costuma trabalhar em cima de cada receita. “Ele mesmo vai para a cozinha, faz os testes, com carinho e dedicação”.

A Bapka agora começou a expansão pelo Paraná e a empresa já tem duas lojas em Ponta Grossa, nos Campos Gerais. Além disso, há dezenas de clientes de varejo na cidade. Com o tempo, a tendência é expandir lojas da empresa para Santa Catarina.

“Primeiro, vamos cuidar da nossa região e ir devagarinho. Temos proposta para atender Foz do Iguaçu e Florianópolis. A partir do momento que você vai crescendo nessa sequência é possível atingir a perfeição de atendimento. Quanto mais clientes tiver melhor. Produção, logística, venda, tem que estar tudo sincronizado”, diz Valdir

Revendedor e fornecedor

Atualmente, a Bapka trabalha com parcerias descomplicadas. Então quem quiser fazer parte do negócio seja para revender produtos ou fornecer pode entrar no site e preencher um cadastro. Após feito este processo, a empresa entrará em contato. Camila garante que o processo é feito sem burocracia e a Bapka garante suporte ao cliente e retorno rápido de investimento.

“Amortizar, incentivar o empreendedor a ter um retorno mais rápido!”, contou Valdir

Para um negócio dar certo como é o caso da Bapka, Valdir cita um fator importante: ter as pessoas certas por perto.

“Tenho as pessoas certas perto de mim, pessoas que motivam a gente para que a gente possa tocar o barco. Por trás de tudo isso tem família, netos, tem que dar sequência na vida. Mais um motivo para a gente batalhar e nunca desistir!”

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Dia do sorvete: conheça a história da Bapka, que começou em Curitiba e se tornou referência no Paraná

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.