Curitiba registrou queda no número de homicídios, de acordo com dados divulgados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp) nesta terça-feira (5). De janeiro a outubro deste ano, a capital do Paraná teve 165 crimes dolosos (quando há intenção de matar), 26% a menos que os 223 registrados em 2022.

image-9-8
Foto: Sesp

Mais populoso bairro da cidade, a CIC também lidera o número de crimes: com 25. Na sequência, aparecem Cajuru (15), Tatuquara (13), Uberaba (11) e Sítio Cercado (11).

De acordo com a delegada-chefe da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Camila Cecconello, a maior parte dos homicídios ocorridos em Curitiba é motivada pela disputa entre envolvidos no tráfico de drogas. Desta forma, as ações das forças de segurança atualmente buscam desmantelar organizações criminosas presentes nos mais diversos bairros.

“Nós mapeamos as áreas mais violentas da capital e começamos a combater a criminalidade pela constante presença, e consequentes abordagens, nestes locais. Isso resultou em 375 prisões realizadas pela DHPP desde o início do ano. São homicidas e pessoas envolvidas em crimes relacionados”, destaca.

Em 2023, o mês mais violento foi fevereiro, com 25 crimes, seguido pelo mês de maio, com 23. Março e setembro foram os meses com menos crimes: 12 cada.

Cecconello destaca que a maior presença da Polícia Civil também aproxima as equipes de comunidades, o que auxilia na obtenção de informações.

DHPP espera números ainda menores

Segundo a chefe da DHPP, a expectativa é por números ainda menores nos próximos meses.

“Já estamos com um índice mais baixo em novembro e esperamos o mesmo em dezembro. Muitos homicídios são relacionados ao tráfico, então a polícia consegue prender essas pessoas de facções criminosas e diminuir os números. Esperamos que esses números reduzam paulatinamente ano a ano”, concluiu Cecconello.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Curitiba tem queda no número de homicídios e registra um a cada 44 horas; saiba bairros mais violentos

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.