Quem esteve na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Boqueirão, em Curitiba, na noite desta sexta-feira (26), presenciou uma confusão que, por muito pouco, não acabou sendo generalizada. Uma mulher, que aguardava o atendimento do eixo verde (pouco urgente) causou confusão dentro do local, e a Guarda Municipal teve que intervir. Veja o vídeo abaixo.

confusao-upa-boqueirao-sexta-a-noite
Confusão generalizada quase tomou conta da UPA do Boqueirão. Foto: Reprodução.

Segundo testemunhas, o tempo de espera na UPA Boqueirão estava em torno de 6h. O motivo da confusão teria sido esse: o tempo de espera. Apesar disso, a Prefeitura de Curitiba tem emitido vários alertas de que as UPAs precisam ser procuradas apenas para emergências, pois têm ficado sobrecarregadas.

O relato das pessoas que estavam no local foi o de que um rapaz que aguardava atendimento se revoltou e passou a agredir a equipe de enfermagem e médicos, momento em que outros usuários que ali estavam começaram a iniciar um tumulto. 

A equipe de segurança e a GM conseguiram controlar a situação, inclusive porque os usuários começaram a ameaçar quebrar o local. 

Procurada, a Prefeitura de Curitiba, através da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba, disse era por volta das 23h, quando uma mulher, que tinha um quadro de cefaleia (dor de cabeça) e náusea, aguardava o atendimento como caso pouco urgente (verde) “causou confusão ao gritar, chutar a mesa e derrubar um computador”. 

“O companheiro atacou e tentou imobilizar o segurança da UPA. A Guarda Municipal foi acionada e conteve a ação. Não houve danos, além do patrimonial da unidade, nem aos demais pacientes nem à equipe de saúde” 

diz a nota da Prefeitura de Curitiba.

Segundo a SMS, não havia atraso nos atendimentos e “o movimento estava tranquilo”. 

Ainda conforme a nota da Prefeitura de Curitiba, a mulher em questão estava acompanhada de outra, que levou a filha, de 12 anos, para verificar a possibilidade de fratura no dedo. A menina foi atendida dentro do período previsto para casos enquadrados na categoria amarela, conforme a SMS. “A entrada da adolescente na UPA foi às 20h48 e seu atendimento foi realizado às 21h35”.

Ao final do conflito, foi realizado o registro da ocorrência por parte da GM, e a paciente foi embora sem a realização do atendimento. Já na madrugada de sábado (27), foi realizado o boletim de ocorrência por uma enfermeira na delegacia.  

“Após o tumulto, a equipe foi amparada e orientada a como proceder durante o restante do plantão. Em decorrência da ameaça, a Guarda Municipal permaneceu na frente da unidade”

informou a Prefeitura de Curitiba.

Veja o vídeo da confusão na UPA do Boqueirão:

Sobrecarga nas UPAs de Curitiba

A SMS reforçou o alerta de que o atendimento nas UPAs segue protocolo de risco, priorizando pacientes com situações de urgência e emergência. Os pacientes são classificados por cores de acordo com o grau de risco e o tempo necessário para atendimento: vermelho é emergência; laranja, muito urgente; amarelo, urgente; verde, pouco urgente; e azul é classificado como não urgente.

As medidas anunciadas, visando a agilidade nos atendimentos, já foram implementadas, segundo a SMS. “Já está em funcionamento o eixo em Y em todas as UPAs do município, assim como as tendas anunciadas das UPAs Boa Vista e Cajuru, a ampliação de horas extras dos profissionais e os postos de trabalho de médicos e enfermeiros”. 

Ainda conforme a Prefeitura de Curitiba, no final da tarde de sexta-feira foi iniciado o funcionamento da cabine de teleatendimento na UPA Sítio Cercado. Nas UPAs Boa Vista e Cajuru, as cabines de teleatendimento começarão a operar na próxima segunda-feira (29).

Além disso, as tendas nas UPAs Tatuquara e CIC entraram em funcionamento no final da tarde desta sexta-feira. Durante a próxima semana, será a vez da tenda da UPA Sítio Cercado. A ampliação de leitos hospitalares de forma escalonada segue, conforme o previsto.

“A SMS reforça que as UPAs são unidades voltadas ao atendimento de urgência e emergência. Pacientes que não podem esperar são priorizados e os demais, com casos não urgentes, podem precisar esperar mais tempo”

destacou a prefeitura.

Pacientes com casos leves devem procurar a unidade de saúde mais próxima, ou a Central Saúde Já Curitiba, que atende pelo telefone (41) 3350-9000, de segunda a sexta-feira, das 7h às 22h; e aos sábados e domingos, das 8h às 20h.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Pacientes ‘leves’ agridem equipe de UPA do Boqueirão por demora no atendimento; vídeo mostra confusão

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.