Dois meses após o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) suspender a compra de 70 novos ônibus elétricos para Curitiba, no valor de R$ 317 milhões, a Urbanização de Curitiba (Urbs) decidiu por dois anos o edital de chamamento para testes. O edital foi prorrogado até 1º de março de 2026, com validade para execução dos testes até 30 de novembro de 2026.

image-1-12
Foto: SMCS

O adiamento do prazo ocorre após a medida cautelar concedida pelo conselheiro Mauricio Requião, e confirmada pelos demais integrantes do órgão, citar a a falta de aprovação de estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental (EVTEA) relativos à lei que autorizava a compra dos ônibus para o transporte coletivo.

Agora, com a prorrogação, a Urbs afirma que o objetivo é poder testar o maior número possível de veículos e modelos dentro do projeto de eletrificação da frota do transporte coletivo.

“Estes testes são muito importantes para que possamos conhecer e acompanhar as constantes inovações tecnológicas e o desempenho em campo, já que os ônibus são testados em linhas que operam e atendem a população”, o diz o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto.

Os primeiros ônibus elétricos devem ser adquiridos até agosto deste ano e circular na linha Interbairros I.

A meta da Prefeitura de Curitiba é que, até 2030, 33% da frota de ônibus da capital seja zero emissões, percentual que deve alcançar 100% até 2050. Até o momento, foram testados sete veículos elétricos das marcas Eletra, Volvo, Marcopolo e BYD. Até o fim do semestre, devem entrar em teste as marcas Volkswagen e Ankai e, no segundo semestre, a Mercedes Benz.

Segundo o presidente da Urbs, Curitiba estuda alternativas para viabilizar a compra de ônibus elétricos, depois que a lei federal 14.789/2023, de 29/12/23, taxou a importação de veículos elétricos, que havia sido zerada em 2015.

Com a lei, há uma taxação de 34% de Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e Contribuição sobre o Lucro Líquido (CSLL) sobre a subvenção da compra, de R$ 317 milhões, ou seja, aproximadamente R$ 107 milhões. “Estamos nos mobilizando, via Frente Nacional de Prefeitos (FNP), para tentar reverter esta legislação”, diz o presidente da Urbs.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Após TCE suspender compra de ônibus elétricos, Urbs prorroga testes por mais dois anos

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.