Ouça a entrevista completa:

Ele chegou com jeitinho e respeito, e aos poucos foi conquistando cada vez mais espaço. Nesta terça-feira (31), o catarinense Bryan Behr mostrou mais um pouco de quem é ao lançar uma música que identifica um “antes” e um “agora” em seu momento artístico. Não Vejo a Hora é a música escolhida para mostrar ao público um novo momento, de um artista relativamente novo na música brasileira, que já celebra uma indicação ao Grammy Latino. Veja o clipe abaixo.

bryan-behr-nao-vejo-a-hora
Foto: Fernanda Lima/Divulgação.

À Banda B, Bryan contou que a nova música chega realmente para marcar uma fase que ele quer evidenciar: com a canção, que é bem diferente de tudo que o cantor vinha criando, ele dá um pontapé no que ainda virá com o novo disco.

“Eu acho que ela explora uma coisa muito bonita que eu já tinha explorado em alguns momentos, já tinha trazido em algumas composições, mas que ela faz com mais maestria. É uma música que fala muito mais sobre paixão do que sobre amor, que é uma coisa que eu estava muito acostumado a trazer nas minhas músicas. É uma música que nasceu muito rápido, eu estava numa ligação de telefone e naqueles minutos entre uma ligação e outra ela baixou pra mim muito rápido, muito bonita”. 

Assim como paixão, Não Vejo a Hora é uma música que arrebata. Mas também deixa um ar de intimidade de alguém que está contando um segredo. E Bryan revela que foi mais ou menos o que buscou com o novo disco.

“Quando comecei o processo de construir esse disco novo, que está para sair, essa música foi uma das primeiras que eu já entendia que tinha uma linguagem diferente e um fator determinante que une todas essas músicas desse projeto. Acho que não podia ser uma música melhor para abrir isso, adentrar nessa nova era, nesse novo momento meu criativo, visual, energético também. Ela sintetiza muitas das coisas que eu queria dizer dentro do próprio disco e abre as portas de um jeito muito único para essa nova etapa”. 

Bryan por Bryan

O cantor, que sempre se mostrou um artista extremamente romântico, chega de um jeito mais arrebatador. Ele revelou à Banda B que o momento é outro, mas ainda mais importante, pois escolheu mostrar sua essência nua e crua.

“Eu não tenho esse processo de buscar coisas novas e diferentes para surpreender as pessoas ou meu próprio público. Acho que a coisa mais legal que existe no mundo é a música e o meu maior desafio é por encontrar coisas diferentes que conversem comigo. Quando estou escrevendo uma música, sozinho ou com parceiros, fica evidente pra mim o quanto eu quero desbloquear esses sentimentos e sensações. Não Vejo a Hora, a primeira vez que eu escrevi, foi um baque pra mim, porque eu nunca visitei essa portinha, eu nunca entrei nesse lugar para buscar esse sentimento. Foi muito bom porque eu senti coisas diferentes”. 

Bryan lembrou que tudo que envolve a carreira dele até aqui, os lançamentos, as maiores dificuldades que encontrou, sempre foi relacionado aos sentimentos. Dessa vez, neste novo momento, não será diferente.

“Nunca foram relacionadas a parte prática da coisa. Eu comecei minha carreira sem nenhum centavo no bolso, e eu tive os momentos mais felizes da minha vida com mais sentimento, com mais conexão com a minha própria música, às vezes quando eu não tinha um tostão para investir no meu negócio. Essa música resume dessa forma. Essa busca por algo muito visceral, que mexa comigo, que faça eu me sentir vivo, criativo também, faz parte da minha essência”. 

bryan-behr-nao-vejo-a-hora-lancamento-cd
Foto: Divulgação.

Fim da primeira tour

O cantor celebra, também nesta semana, o encerramento da turnê Todas as Coisas do Coração, que o levou para algumas regiões do Brasil e foi seu primeiro contato direto com o público. O último show dessa turnê está marcado para sexta-feira (3), em São Paulo.

“Essa tour, desse disco, começou em São Paulo na gravação do Bryan Behr em São Paulo, que inclusive foi indicado ao Grammy, e eu fiquei muito assustado porque era tudo muito novo. Quando comecei a viajar com os shows, parecia que era uma coisa muito íntima com as pessoas. Isso me abriu tantas portas, foi tão importante para criar esse disco novo também”. 

Bryan disse que a estrada e a possibilidade de estar em contato com as pessoas lhe proporcionou algo que ele jamais imaginara que seria possível. Se reinventou.

“E reinventei muita coisa na minha cabeça também. A gente está chegando no fim desse ciclo que é pra mim muito novo, porque eu nunca encerrei uma turnê, vai ser minha primeira vez. Estou muito nostálgico, acho que tudo isso, todo esse sentimento e estudo que eu fiz nestes shows pelo Brasil, foi muito especial e reverberou muito em mim para criar esse disco novo”. 

bryan-behr
Foto: Divulgação.

Recentemente, Bryan ainda teve a oportunidade de participar de um tributo a Cazuza, que neste ano completaria 65 anos. O projeto teve como objetivo enaltecer a obra do artista com releituras de quatro de seus clássicos, em arranjos modernos e interpretações com identidades muito próprias.

Bryan comentou sobre a importância que teve dar voz a duas músicas de um dos maiores nomes da nossa MPB. E disse que até hoje se orgulha de ter feito isso. Veja o que o cantor falou sobre o assunto:

Indicação ao Grammy

O disco que Bryan Behr encerra a turnê nesta semana lhe rendeu mais do que bons frutos, lhe mostrou o caminho e lhe mostrou certezas. Não à toa, o artista foi surpreendido com sua primeira indicação ao Grammy Latino na categoria de melhor álbum pop contemporâneo de língua portuguesa.

“Eu acho que foi muito de dentro pra fora, do que de fora pra dentro. Pra mim subir no palco era muito difícil, quase morria, era terrível. Quando eu estava lá em cima era o melhor sentimento, mas enquanto esse momento não chegava era muito sofrido, era doloroso. O Grammy veio com esse disco e não poderia ser mais especial porque era praticamente meu primeiro show. Era a quarta vez que eu subia num palco com uma banda”. 

Ser indicado ao Grammy nestas circunstâncias, segundo Bryan, o ajudou muito a se compreender, a se olhar com mais carinho e saber que quando se faz as coisas com amor, com o coração, elas acontecem.

“Às vezes a gente não compreende o tempo das coisas, e quando a gente recebe uma ligação destas, que não é todo dia que a gente recebe, para dizer que está indicado ao Grammy com um disco ao vivo, é uma sensação indescritível. Tem várias coisas muito simbólicas: o fato de ter sido um show ao vivo, eu nunca ter saído do Brasil e estou saindo pela primeira vez por conta da minha música e isso torna tudo ainda mais especial”. 

Na avaliação do cantor, a indicação por si só traz um punhado de significados, e mais do que isso forças para continuar seguindo no que acredita.

“É um gás que a gente recebe que é muito bom, porque você sente de alguma forma que todo aquele carinho que você colocou nos micro detalhes, que pode até passar despercebido, que alguém está sentindo aquilo. Você sente que de alguma forma você está fazendo a diferença e as pessoas estão ouvindo o que você tem pra dizer. Vem também uma responsabilidade muito grande justamente na mesma moeda: as pessoas estão ouvindo o que você está dizendo, então o que você está dizendo? Qual é a mensagem que você está passando? Estou indo com o coração aberto porque independente de trazer pra cá ou não é uma celebração incrível. Eu to sentindo que estou participando de um momento da música brasileira que eu só assistia, eu não vivia, sempre olhava desde criança os artistas que eu admirava vivendo isso e agora estou no mesmo lugar”. 

bryan-behr-nao-vejo-a-hora-lancamento
Foto: Divulgação.

Novo disco vem aí

Como adiantou no começo do papo: um novo momento também merece um novo disco. Principalmente quando se trata de um artista visceral, que se comunica através de suas canções. Bryan adianta o que vem por aí, ainda sem data divulgada.

“Minha maior busca criativa é me encontrar em outros lugares, me perceber de outras formas e trazer isso para a música. Quando a gente fala de essência, e imagina que dentro de cada pessoa existe uma muito única, eu acho que esse disco foi o que eu mais consegui me aproximar disso. É o disco mais Bryan Behr. Gravei e produzi com dois grandes amigos e a experiência foi incrível porque eu consegui colocar naquelas músicas tudo que eu queria dizer, da forma que eu queria dizer, e isso faz com que a gente se sinta muito diferente quando vai lançar”.

O que as pessoas vão ouvir nesse disco – e já têm uma amostra na música que saiu – é uma coisa muito particular de Bryan Behr.

“É muito eu, é muito a minha essência. Então acho que as pessoas podem esperar isso: um disco muito verdadeiro, muito colorido, que fala sobre muitas coisas e ele é construído de maneiras muito diferentes também. ‘Não Vejo a Hora’ já mostra bastante dessa diferença, dessa mudança, as pessoas vão começar a entender as mensagens e os sentimentos novos que estou abordando nas músicas também”.

Além de estar disponível nas plataformas de streaming, a nova música de Bryan Behr também ganhou um clipe. Enquanto o disco não vem, ouça a nova música e veja o clipe:

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Indicado ao Grammy, Bryan Behr lança música e revela: ‘Abre as portas para uma nova etapa’; ouça

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.