Desde o dia 23 de abril, diversos artistas se apresentam na 5ª edição do Festival É no Choro que eu Vou. Neste ano, além dos shows online, a Mostra de Composições vai selecionar três obras inéditas, a partir de oito semifinalistas que, serão revelados na fanpage do evento. Os vencedores, escolhidos pelo voto popular, serão premiados com  valores em dinheiro.

Ainda nesta semana, se apresentam, a pianista, Carla Pronsato (28), o projeto Roda de Choro em Floripa com o cantor, compositor e instrumentista, Guinter Vieira e convidados (29) e na final da Mostra de Composições, o chorão, Julião Boêmio faz o show com os compositores vencedores. (Arte: Reprodução/Facebook)

Com a premiação de R$ 300 (3º lugar), R$400 (2º lugar) e R$600 (1º lugar), para participar, o concorrente deve gravar a música em vídeo (MP4), fazer o upload via Wetransfer e encaminhar via e-mail para [email protected] até terça-feira (28).

Os semifinalistas participam de uma enquete na fanpage do Festival nesta quarta-feira (29), e no dia seguinte, a partir das 20h, no Instagram do Festival, o cavaquinista, Julião Boêmio revela os vencedores.

Realizado desde 2015 e idealizado por Clayton Rodrigues, Jonas Lopes, João Luis Rodrigues, Marcela Zanette, Renato Próspero e Téo Souto Maior, o Festival É no Choro que eu Vou é um dos principais eventos do gênero no país.

https://www.instagram.com/p/B_S2W0hoV7j/

Nesta edição, já se apresentaram os músicos, Antônio Rocha, Trio Júlio, Roberto Amaral, Lucas Melo e Lucas Miranda com o projeto, Papo de Xará. Nesta segunda (27), a partir das 20h, o show é com premiado bandolonista e compositor, Daniel Migliavacca.

Ainda nesta semana, se apresentam, a pianista, Carla Pronsato (28), o projeto Roda de Choro em Floripa com o cantor, compositor e instrumentista, Guinter Vieira e convidados (29) e na final da Mostra de Composições, o chorão, Julião Boêmio faz o show com os compositores vencedores.

Homenagem 

O Festival É no Choro que eu Vou faz nesta edição à homenagem ao clarinetista e saxofonista Daniel Ferreira de Miranda Júnior (1965-2019). Vítima de um AVC em novembro de 2019, Daniel Miranda iniciou sua trajetória durante a adolescência e se consolidou como um dos principais nomes da música paranaense

Daniel Miranda é reconhecido, principalmente, por integrar a terceira geração do Conjunto Choro e Seresta – fundado na década de 1970, pelo flautista Alvino Carbonar Tortato e pelo cavaquinista, Moacyr de Azevedo.

Entre as grandes contribuições ao cenário musical, Daniel Miranda montou em 2003, o grupo de choro Ebubu Fulô, foi fundador da Banda Lyra e integrou a Orquestra À Base de Sopro do Conservatório de MPB de Curitiba.

Neste ano, durante a 37ª Oficina de Música de Curitiba, Daniel Miranda foi reverenciado durante um show emocionante com o Conjunto Choro e Seresta e a participação de diversos músicos e amigos que, ao longo dos seus 54 anos, se apresentaram ao lado do artista.

A 5ª edição do Festival É no Choro que eu Vou conta com o apoio do Ao Distinto Cavalheiro e para contribuir financeiramente com o Festival, os dados bancários são:

Banco do Brasil⠀
Agência: 3262-0⠀
Conta corrente: 11377-8⠀
CPF: 054.201.299-57⠀
Clayton Rodrigues da Silva

SERVIÇO | 5º Festival é no Choro que Eu Vou

Quando: até o dia 30 de abril
Transmissões: via Instagram e Facebook oficial do Festival é no Choro que Eu Vou
Horário: 20h

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

5ª edição do ‘Festival de Choro’ faz homenagem à Daniel Miranda

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.