A maestria das cordas do solista italiano Giuseppe Gibboni ecoou pela Capela Santa Maria Espaço Cultural na noite da sexta-feira (11). Acompanhado da Orquestra de Câmara de Curitiba, o concerto “O Violino Italiano” teve a condução musical e cravo de Fernando Cordella, e fez parte da programação do Mia Cara Curitiba.

solista violino
Foto: José Fernando Ogura/SMCS.

O solista, nascido na Itália em 2001, é aclamado pela crítica como um dos maiores e mais promissores talentos musicais internacionais. Ele ganhou a 56ª edição do Prêmio Paganini em Gênova, tornando-se o quarto italiano a alcançar o prestigioso reconhecimento.

Emocionados com o brilhantismo do jovem violinista de 22 anos, o prefeito Rafael Greca e a primeira-dama Margarita Sansone acompanharam a apresentação promovida pela Fundação Cultural de Curitiba e pelo Instituto Curitiba de Arte e Cultura (Icac), em parceria com o Consulado Geral da Itália em Curitiba.

“Um concerto com tanta harmonia como este é uma distinção. Nós saímos flutuando, nas nuvens”, disse o prefeito Rafael Greca.

O programa cuidadosamente selecionado começou com o “Concerto Grosso em Sol menor, Op. 6 nº 8”, de Arcangelo Corelli. A habilidade de Corelli em combinar influências tradicionais com a elegância erudita do barroco foi elogiada por Cordella.

Técnica na música

Um dos momentos mais aguardados da noite foi a execução da “Sonata em Sol menor, Op. 1 nº 2”, de Giuseppe Tartini, também conhecida como “Trillo del Diavolo”. Tartini, famoso por sua lenda envolvendo o diabo tocando uma melodia em seu sonho, teve sua peça executada magistralmente por Gibboni, que demonstrou sua destreza técnica na música.

O músico que está na Temporada da Camerata pelo segundo ano seguido falou da satisfação em tocar na capital paranaense. “É sempre um grande momento vir a Curitiba e tocar com essa Orquestra extraordinária. Fazer música com profissionais tão exemplares como o maestro Cordella é um prazer, toda música é uma redescoberta”, disse.

A programação continuou com a “Sinfonia da Cantata ‘Notte, ch’in carro d’ombre”, de Alessandro Scarlatti. Finalizando a noite musical, com “Concerto em Lá Maior, Op. 1 nº 9”, de Tartini.

Projeto Candlelight

Na plateia também estava Denis Santos, manager do Projeto Candelights, série internacional de concertos à luz de velas que chegou a Curitiba nessa semana. O produtor elogiou o espaço e os músicos da cidade.

“O concerto foi incrível e este espaço é maravilhoso. Olhando como produtor, a Capela é perfeita. Uma das coisas que a gente sempre prioriza é ter importância para a cidade, outra coisa é ser expressiva e falando acusticamente foi surreal, lembra a Sala São Paulo, só que com intimismo, o que faz a gente sentir os músicos do lado”, disse.

Também estiveram no concerto a presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Ana Cristina de Castro, o diretor executivo do Icac, Marino Galvão Jr. e o assessor de relações internacionais Rodolpho Zannin Feijó.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Solista Italiano Giuseppe Gibboni encanta na Capela Santa Maria com seu violino

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.