Chegar aos 50 anos de história no trabalho, fazendo o que mais ama e ainda tendo sucesso, não é para qualquer um. Assim podemos definir a dupla Di Paullo e Paulino, que cresceu sabendo o que queria e até hoje lutam para manter-se na estrada da música. No sábado (2), os artistas se apresentaram em Curitiba com a estreia de uma turnê que deve percorrer o país para celebrar essa história. Veja a entrevista abaixo.

di-paullo-e-paulino-em-curitiba-foto-lucas-sarzi-capa
Foto: Lucas Sarzi/Banda B.

Apesar de todo esse tempo de estrada, a vinda de Di Paullo e Paulino a Curitiba neste final de semana foi algo praticamente inédito. Nestes 50 anos de carreira, eles nunca tinham vindo à capital paranaense, quebrando essa “barreira” no ano passado, quando fizeram o primeiro show, esgotado.

Ambos os shows, do ano passado e deste final de semana, foram feitos pela Plateia Entretenimento, que apostou na dupla e acertou em cheio. À Banda B, os cantores avaliaram que tudo teve o tempo certo.

“É verdade, para nossa alegria, né? Estamos vindo aqui mais uma vez a Curitiba, mas o caso é que nós começamos muito criança e realmente tínhamos que ter um tempo de estrada para a gente ter uma história para vir contar para o povo paranaense, especialmente aqui em Curitiba. Então por isso a demora e estamos chegando”

disse Di Paullo.

“Maturação, o artista precisa de maturação, precisa de tempo, e ele conta a sua história cantando. Hoje nós vamos cantar alguns sucessos que nós gravamos e que, pela segunda vez, prazerosamente para nós, em Curitiba, teremos o calor humano dessa plateia maravilhosa”

avaliou Paulino. 

Fãs fieis

A espera para que um dia pudesse ver a dupla preferida praticamente “em casa” valeu a pena. Não foi difícil encontrar boas histórias em meio a tanta gente que lotou o Teatro Positivo. Entre elas estava a do comerciante aposentado Ademir Francisco.

Aos 74 anos, ele mobilizou toda a família para assistir com ele a mais uma apresentação de Di Paullo e Paulino em Curitiba. Isso porque no ano passado, todos foram também. Ao todo, mais de 30 pessoas.

“A gente acompanha o Di Paullo e Paulino há bastante tempo. Onde for possível a gente vai ao show deles. Estivemos aqui no ano passado e também em Piên, hoje estamos aqui de novo. É uma honra muito grande”

disse Ademir Francisco, fã da dupla desde o começo.

Ademir contou que, além de ser muito fã, por conta do trabalho que os artistas realizam ao longo destes 50 anos, também se reconhece em Di Paullo e Paulino na vida pessoal.

“Gosto muito deles porque eles são família, são humildes, fora de série. Se tiver um fã do Di Paullo e Paulino, sou eu. Eu trabalhava numa rádio na Fazenda Rio Grande, e o início do meu programa era Amor de Primavera, que é deles. Cheguei a comprar, quando saiu o primeiro CD deles, cinco CDs, com medo de riscar e eu ficar sem. Sou fã mesmo, graças a Deus”

contou o comerciante aposentado.

Emocionado, Ademir contou que reunir a família, para ele, foi um momento ainda mais especial. Para celebrar.

“Uma emoção muito grande porque é o prazer da gente. Muita família às vezes se encontra na hora mais difícil, mas graças a Deus nós estamos hoje aqui com toda a família num momento de alegria. Curtindo essa beleza de espetáculo que é a dupla e a banda”

disse Ademir.
familia-show-di-paullo-e-paulino-curitiba-foto-lucas-sarzi (1)
Foto: Lucas Sarzi/Banda B.
familia-show-di-paullo-e-paulino-curitiba-foto-lucas-sarzi (2)
Foto: Lucas Sarzi/Banda B.

Atender os fãs, para a dupla, é sempre um momento especial. Por isso, procuram dar toda a atenção que gostariam também de receber se estivessem do outro lado.

“Isso é uma gratificação, uma gratidão eterna que nós temos para com esse público e especialmente com a divindade que nos dá força realmente para dar sequência ao nosso trabalho no nosso dia a dia”

comentou Di Paullo. 

“E nós tivemos os nossos ídolos também e fomos muito bem recebidos pelos nossos ídolos. Então, a gente tem um carinho muito grande por todos eles, por todos que demonstram ser fãs, que gostam das nossas canções, que gostam das nossas vozes. A gente imagina como se a gente fosse também recebido pelos nossos ídolos, né? Silveira e Barrinha, Silveira e Silveirinha, Trio Parada Dura, então, Chitãozinho e Xororó, Zezé Di Camargo, que são nossos amigos. Então a gente tem esse mesmo respeito como eles tiveram esse respeito com a gente”

completou Paulino.
di-paullo-e-paulino-em-curitiba-foto-lucas-sarzi (4)
Foto: Lucas Sarzi/Banda B.

Show comemorativo

O show que Di Paullo e Paulino apresentaram em Curitiba foi novo, com uma pegada nostálgica e com o objetivo de contar a história da dupla. É o mesmo show que deve percorrer o país ao longo deste ano.

“Esse show tem um lado muito bacana, que é o primeiro show que a gente vai mostrar em todo o ano, a história do Di Paullo e Paulino, como começou, desde criança e Curitiba está recebendo em primeira mão essa abertura. É para contar como a gente começou e entrou nessa história, que é muito gratificante”

adiantou Paulino.

Bem completo, o show revisita toda a história dos irmãos que nasceram e cresceram em Minas Gerais. Um dos momentos auge da apresentação é a homenagem que Di Paullo e Paulino fazem à Marília Mendonça, com quem gravaram a música Estrelinha, que ficou conhecida pela participação da cantora e, após a morte da rainha da sofrência, acabou sendo atribuída a ela.

Veja um trecho da homenagem de Di Paullo e Paulino à Marília Mendonça:

O irmão de Di Paullo também adiantou à Banda B que vem um projeto para este ano, que vai envolver as comemorações pelas cinco décadas de dupla. 

“Nós temos um projeto que a gente tá desde o ano passado, trabalhando ele, não foi possível fazer ele nos 50 anos, que são 50 anos de estrada, que vai chamar esse projeto. A gente vai cantar todos os sucessos, tem alguns amigos que ainda estão confirmando conosco presença, não vamos adiantar aqui para não causar uma expectativa. Mas são pessoas maravilhosas, artistas bacanas demais que curtiram Di Paullo e Paulino, que gostam da gente e nos auxiliaram muito também, é surpresa”

detalhou Paulino. 

Além disso, a dupla ainda pretende lançar algumas músicas novas. Mas fez mistério.

“Antes desse projeto de 50 anos de estrada, ainda tem músicas inéditas que nós estamos preparando também para serem lançadas. Canções novas que vamos lançar”

comentou Di Paullo.

Amor à música

A dupla cresceu com o apoio do pai, que possuía uma coleção de instrumentos sertanejos. Eles aprenderam a tocar sozinhos em casa. Com a partida precoce de quem mais os inspirava, veio aí o primeiro desafio.

“Acredito eu que um dos grandes desafios foi quando nós tínhamos nosso pai que tocava conosco e ficamos sem o pai repentinamente e tivemos que recoordenar a vida e a carreira, porque ele tomava conta de tudo e a gente só cumpria a agenda e ele nos deixou precocemente. Nós tivemos que readaptar. Isso a gente conta na abertura do show, um pedacinho dessa história”

avaliou Di Paullo.

A persistência e luta para realizar o sonho os fez chegar até aqui. Mas Paulino reforça que tiveram que ter muita fé também.

“São desafios que a gente tem no cotidiano da vida, acho que todo ser humano tem, e graças a Deus estamos vivendo um momento muito feliz com a consciência do dever cumprido. Isso nos causa uma alegria muito grande, de saber que tivemos a luz divina nos guiando”

comentou Paulino.

Veja a entrevista completa com Di Paullo e Paulino:

Com mais de 20 discos lançados, os irmãos celebram o fato de olhar para trás e entendem que tudo que passaram teve um motivo.

“Talvez a dificuldade, os desafios, é o que faz a gente crescer. E por isso que estamos aí até hoje. Estamos enfrentando desafios até hoje”

avaliou Di Paullo. 

Sem pestanejar, os cantores comentaram que o que os inspira a continuar é o fato de sempre estarem ligados às origens. E o carinho do público.

“O que nos inspira na verdade é o gosto do povo por esse gênero de modão. O romântico sertanejo nos inspira e nos emociona até hoje. Quando a gente vai gravar alguma coisa nova, como estamos preparando agora um novo projeto, tem músicas inéditas que a gente traz um pouquinho dessa modernidade, mas nunca deixa de ter um pé lá na raiz e nos modões, que é a nossa paixão. Então acredito eu que nós, Di Paullo e Paulino, temos essa tarefa de dar continuidade a esse gênero, porque o público é que nos sustenta. Eles é que procuram a gente, eles é que nos dão energia para a gente continuar sempre”

concluiu Di Paullo.
di-paullo-e-paulino-em-curitiba-foto-lucas-sarzi (10)
Foto: Lucas Sarzi/Banda B.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Dupla Di Paullo e Paulino celebra 50 anos de história reunindo fãs, homenagem à Marília e resgate do modão

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.