Em sua passagem por Curitiba a partir desta sexta-feira (11/8), a mostra itinerante A Cinemateca é Brasileira ganha uma atração especial: uma exposição de cartazes criados por artistas da cidade apresentando suas versões para cada um dos 17 filmes da mostra.

A exposição A Cinemateca é Brasileira por Ilustradores de Curitiba poderá ser vista na Cinemateca de Curitiba durante o período de exibição dos filmes (todos os fins de semana entre 11 e 27 de agosto).

A ação exclusiva, organizada pela Gibiteca de Curitiba, conta com a participação dos seguintes quadrinistas e ilustradores: André Caliman, Ana Clara dos Santos, Ana Clara Viana, Antônio Eden, Brenda Bossato, Celina Pacheco, Francis Ortolan, Fulvio Pacheco, Ivan Soria, João Ferreira, João Possari, José Aguiar, Maira Pires, Marcelo Bitencourt, Marcelo Lopes, Marcia Széliga, Raphaela Corsi e Simon Taylor.

A mostra da Cinemateca é uma seleção dos melhores filmes brasileiros, considerando diferentes momentos históricos, propostas estéticas e abordagens temáticas. “Os ilustradores abraçaram o desafio de reinterpretar os clássicos do cinema nacional, usando em suas criações desde o bico de pena até o desenho digital”, conta o coordenador da Gibiteca, Fulvio Pacheco.

Pegada de humor

Para a missão, o desenhista Simon Taylor escolheu o filme Cidade de Deus, de Fernando Meirelles (2002). “É um dos melhores filmes nacionais, muito bem feito em todos os sentidos. Tem um roteiro fantástico, foi muito inovador na época em que foi lançado e continua excelente”, elogia o ilustrador.

Ele conta que, para pensar numa proposta de cartaz, assistiu ao filme novamente. “Todos os personagens são muito carismáticos, mas foquei dois principais, o Zé Pequeno e o Buscapé, aplicando uma pegada de humor. Coloquei os dois frente a frente, remetendo a uma pose comum nos cartazes hollywoodianos, e cada um com sua arma. Zé Pequeno com uma arma tradicional e Buscapé com sua máquina fotográfica. A fotografia foi o meio que ele encontrou para sair daquela vida”, descreve Simon.  

Simon Taylor gostou de participar da iniciativa. “Vibrei quando apareceu essa oportunidade. Adoro participar de algo divertido, que foge do dia a dia, ainda mais quando temos total liberdade para criar”, afirmou. 

Obras de arte

O processo de criação foi parecido com o da ilustradora Márcia Széliga, que ilustrou o cartaz do filme Cinco Vezes Favela, considerado um dos marcos iniciais do Cinema Novo. O filme é uma coletânea de cinco histórias curtas, de diferentes diretores: Marco Farias, Carlos Diegues, Miguel Borges, Joaquim Pedro de Andrade e Leon Hirszman.

“Assisti ao filme e peguei alguns detalhes das histórias. Utilizei um traço solto, montei as imagens dos barracos no formato do número 5, de forma meio desequilibrada, e usei a cor para remeter ao colorido das favelas. Nos detalhes, um cara marcado para morrer (com um x)”, explica Márcia.

Para a ilustradora, iniciativas como a dessa exposição são um estímulo para os artistas e, no seu caso, lhe fez lembrar da produção de cartazes na Polônia, onde viveu por dois anos. “Lá eles não utilizam os cartazes comerciais dos filmes. Para todas as produções, inclusive estrangeiras, eles costumam criar suas próprias versões. Os cartazes poloneses são famosos por causa disso, são verdadeiras obras de arte, inclusive existe uma galeria onde são colocados à venda”, conta Márcia.

Quais são os filmes e os seus ilustradores:

São Paulo: a sinfonia da metrópole – Marcelo Bittencourt
Limite – Antonio Eder
Carnaval Atlântida – Celina Pacheco
O Cangaceiro – Ivan Soria
Jeca Tatu – Ana Clara Santos
Cinco Vezes Favela – Márcia Szeliga
O Pagador de Promessas – André Caliman
Deus e o Diabo na Terra do Sol – Raphaela Corsi
À meia-noite levarei sua alma – José Aguiar
O bandido da luz vermelha – João Possari
Macunaíma – Brenda Bossato
Dona Flor e os seus Dois Maridos – Francis Ortolan
Ilha das Flores – Clara Viana
Cabra Marcado para Morrer – João Ferreira
Central do Brasil – Maíra Pires de Castro e Marcelo Lopes
Cidade de Deus – Simon Taylor
Bacurau – Fulvio Pacheco

Exposição A Cinemateca é Brasileira por Ilustradores de Curitiba

Local: Cinemateca de Curitiba (R. Pres. Carlos Cavalcanti, 1.174, São Francisco)
Abertura: sexta-feira (11/8), às 19h
Visitação: de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h, e também nos horários de exibição de filmes
Gratuito

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Ilustradores de Curitiba recriam cartazes de grandes filmes brasileiros

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.