Há mais de 25 anos na estrada, a peça “Violetas na Janela” retorna a Curitiba, nos dias 30 de setembro e 1º de outubro, às 19 horas, para curta temporada no Teatro UP Experience. A peça é uma obra espírita, lançada em 1993, que vendeu mais de dois milhões de exemplares, tornou-se um best-seller e conquistou leitores de todo o país. Entre eles, destaca-se a atriz Ana Rosa, que a partir da leitura decidiu levar para os palcos o livro escrito pela médium Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho e que foi ditado pelo espírito Patrícia.

Foto: Divulgação.

“Uma filha minha desencarnou às vésperas de completar 19 anos e eu ganhei de uma vizinha o livro ‘Violetas na Janela’. Outra filha estava na faculdade. O pessoal soube que ela tinha perdido a irmã e lhe deu o ‘Violetas na Janela’. Isso foi em novembro de 1995. No grupo de amigo oculto no centro espírita que a gente frequentava, o meu marido ganhou de presente o livro ‘Violetas na Janela’. Então, por três vias, ele chegou às nossas mãos”.

recorda Ana Rosa

A partir desse contato mais que especial com a obra, Ana Rosa e o marido, o saudoso ator Guilherme Corrêa, adaptaram e dirigiram a montagem baseada no livro, que percorre o Brasil desde 1997. O sucesso prova a identificação do público com a narrativa, que explica o que é a desencarnação.

“É um espetáculo lindo e inspirador. Gosto de deixar claro que não é nossa intenção fazer a cabeça de ninguém. A peça é baseada numa obra espírita, mas as pessoas não precisam ser espíritas para gostar do espetáculo. Eu gosto de citar os filmes ‘Ghost’ e ‘Sexto Sentido’, que são maravilhosos, e nenhum deles foi anunciado assim: “um filme espírita”. Mas eles trazem essencialmente aspectos da vida dos espíritos e da vida após a morte. Então, eu não gosto quando, nas nossas divulgações, as pessoas anunciam como peça espírita. Isso limita, parece que realmente é só para quem é espírita – e não é verdade. É um espetáculo com 14 atores no palco, atores profissionais, uma música lindíssima, uma iluminação lindíssima, o público assiste e gosta. Quem acredita só vai reafirmar o que já aprendeu ou sabe; quem não acredita ou tem curiosidade vai achar muito interessante. Não tem que ter preconceito. Quem for ver vai perceber que a peça é basicamente os ensinamentos de Jesus. Espero que todos gostem desse espetáculo”

explica a atriz.

História da peça

“Violetas na Janela”, que já foi transformado também em história em quadrinhos, tem início com o desencarne de Patrícia, aos 19 anos. No mundo dos espíritos, ela recorda que despertou tranquilamente no plano espiritual, sentindo-se entre amigos. Feliz com a acolhida, adaptou-se à nova vida auxiliada por espíritos benfeitores que a receberam na Colônia São Sebastião.

Nessa jornada, Patrícia explica o que é a desencarnação. Descreve as belezas do plano espiritual, espaço em que não faltam trabalho, estudo e diversão. No início, estava cheia de dúvidas… Do que se alimentaria? O que vestiria? Sentiria as mesmas necessidades? Enfrentaria o calor, o frio? Aos poucos, tudo se esclareceu ao conviver com outros jovens desencarnados.

“Trazemos tudo isso com leveza e toques de humor, que se encarregam de dar graça ao espetáculo. Patrícia fala de suas descobertas, dúvidas, necessidades, da busca pelo autoconhecimento, seus receios, afetos, seus amores. Ela vive em uma colônia onde há hospitais, escolas, teatros, meios de transporte, bibliotecas. Onde a tecnologia avançada convive em harmonia com a natureza, os homens e os animais. Um lugar onde é respeitado o livre arbítrio e a justiça reinante é a do amor”

conta Ana Rosa.

“Violetas na Janela” é um convite a conhecer o outro lado da vida. A narrativa ajuda a entender, por exemplo, como devemos proceder diante da morte de um ente querido – o que fazer para superar a separação e confortar aquele que partiu. Patrícia exemplifica a lição, relembrando a inesquecível ajuda que recebeu de familiares espíritas.

Foto: Divulgação.

Trajetória inspiradora

Aos 81 anos e residindo em Portugal, Ana Rosa, que é atriz, bailarina, escritora, musicista e dubladora, tornou-se uma figura conhecida de todos os brasileiros. Não por acaso, entrou para o Guinness Book por ter atuado em mais novelas do que qualquer outra atriz no mundo.

Com uma família de artistas, Ana Rosa nasceu em Promissão (SP) e apareceu na telinha em projetos nas mais diferentes emissoras, como Tupi, Record e Globo. Participou de folhetins marcantes, entre eles, “O Rei do Gado”, “Corpo Dourado”, “O Beijo do Vampiro”, “História de Amor”, “Fina Estampa” e “Caminhos do Coração”. No cinema, marcou presença em diversos longas: “Nosso Lar”, “Chico Xavier”, “E a Vida Continua…” e “O Signo da Cidade”. Em 2005, por conta da comemoração dos 40 anos de carreira, lançou o livro “Essa Louca TV e sua Gente Maravilhosa” (Editora Butterfly).

Serviço

Violetas na Janela em Curitiba
Quando: dias 30 de setembro (sábado) e 1º de outubro (domingo), às 19h. Sessão extra no sábado, às 21h30
Onde: Teatro UP Experience (campus da Universidade Positivo Ecoville – Rua Professor Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300 – 2.º andar, Ecoville – Curitiba)
Quanto: a partir de R$ 50, de acordo com o setor. Venda pelo Disk-Ingressos.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Com Ana Rosa, espetáculo ‘Violetas na Janela’ faz curta temporada em Curitiba

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.