Emoção. Essa é a palavra que define a sensação que todos que estavam na fila para o primeiro show do Coldplay, nesta terça-feira (21), no Estádio Couto Pereira, em Curitiba. Dos fãs aos vendedores ambulantes, todos compartilhavam do mesmo sentimento na expectativa de mais uma noite especial, ainda que para cada um de um jeito diferente.

João Silveira veio de Londrina, no interior do Paraná, e chegou na fila por volta das 9h desta terça-feira. Enfrentando um baita sol, o fã da banda disse que tudo compensa a emoção do show.

“Não tem o que fazer, sou fã, não tem como. Não importa passar um pouquinho disso para presenciar o incrível show que eles oferecem. Todos os shows deles são incríveis e surpreendem cada vez mais, fiz de tudo para estar aqui, então estou muito feliz”. 

O rapaz estava na fila ao lado de Tainá Miranda, que veio de Florianópolis, Santa Catarina. Acompanhada do namorado, a jovem nunca viu 

“Chegamos no sábado à tarde, viemos antes para conhecer a cidade, e vamos embora amanhã já”. 

Tainá, que nunca assistiu a um show do Coldplay, lembrou da sensação ao comprar os ingressos. Segundo ela, só a fila já foi de agitar o coração.

“Foi complicado, mais gente do meu trabalho ia comprar e não conseguiu, fui uma das únicas do meu serviço que conseguiu. Nunca fui ao show do Coldplay, sempre falam que é incrível, estou animada para ver”. 

Mesmo com o sol escaldante que faz nesta terça-feira, Tainá disse que o lado legal de estar na fila é poder fazer amizade e conhecer as pessoas. A experiência do show começa do lado de fora.

De Brasília para Curitiba

Qual tipo de esforço é suficiente quando se trata de paixão por um ídolo? No caso de Helena Oliveira, foram 1.388 quilômetros percorridos. Ela veio de Brasília para assistir ao show, e estava emocionada em poder contar com a amiga Ana Paula Braga por aqui.

“Vim para ficar na casa de uma amiga que não via há muito tempo e me ofereceu teto, me levou para conhecer a cidade, sou muito grata pela hospedagem, os passeios, a companhia”. 

Segundo a jovem, a experiência que o Coldplay proporciona nos shows envolve até mesmo essa valorização das relações. 

“Confesso que não curto muito ir a um show sozinha, ela está sendo fundamental. A palavra gratidão é o que mais demonstra. Estou presenteando minha amiga com uma camiseta para a gente ir para o show. Sou grata a São Pedro pelo clima, porque antes assim, do que chovendo”. 

    Foto: Eliandro Santana/Banda B.

    Vendas bombando

    Além dos fãs, quem também estava feliz na região do Estádio Couto Pereira era o vendedor Thales Arthur. O rapaz, que já acompanhou a banda nos seis shows que Coldplay fez em São Paulo, disse que Curitiba é sempre especial.

    “Graças a Deus em Curitiba a recepção é top demais. Papai do céu abençoa a gente por aqui”. 

    Sobre a experiência que tem vivido com a banda, ainda que do lado de fora dos estádios, o vendedor até se emociona ao dizer o quanto o momento tem sido bom para as finanças.

    “Coldplay é surreal, a gente vem acompanhando de São Paulo e vemos que os caras abraçaram o Brasil. Um espetáculo único que fica na memória da gente que nem entra para o show, mas ouvimos tudo de fora. Vamos para o Rio, continuamos acompanhando e a banda está de parabéns”.

    Comunicar erro

    Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

    Fila para show de Coldplay em Curitiba tem emoção entre fãs e comemoração de ambulantes

    OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.