A exposição “German Lorca, Mestre da Fotografia” acontece no Museu Oscar Niemeyer (MON), a partir de 5 de julho. Com curadoria de Adriana Rede e José Henrique Lorca, filho do fotógrafo, a mostra, contara com cerca de 160 fotografias, além de câmeras e outros itens pessoais.

A exposição percorre a trajetória de Lorca como artista e profissional na fotografia, por mais de 70 anos, contando, inclusive, com seus primeiros trabalhos como fotógrafo amador, em 1947. Sua excepcional dedicação, ajudou a conquistar diversas premiações e reconhecimento, no Brasil e no Exterior.

Os oito núcleos que compõem a exposição são: Lorca na coleção do MoMA; Primeiros tempos: Foto Cine Clube Bandeirante; Um olhar livre; E fez-se a cor; New York e seus personagens; A geometria das sombras; Sobreposição do tempo e O Mago dos Anúncios.

Sua obra compõe um grande recorte da história da fotografia brasileira, acompanhando um novo movimento, uma nova forma de expressão fotográfica e o alvorecer de uma estética moderna na nossa fotografia nacional.

“German Lorca é simplesmente um dos maiores nomes da fotografia brasileira. Nossa expectativa para esta exposição de Lorca no MON é de que ela será um marco para o Museu por conta da grandeza de sua trajetória, que merece ser vista, revista e conhecida pelo grande público aqui no Paraná”.

afirma a secretária de Estado da Cultura, Luciana Casagrande Pereira.

“São imagens geniais que têm poesia, que tocam e inspiram, que permitem um diálogo silencioso com cada visitante. Com essa exposição, o MON confirma sua vocação de, entre outras vertentes artísticas, colecionar e expor fotografias, levando-as até o imenso e interessado público espectador”

segundo a diretora-presidente do Museu Oscar Niemeyer, Juliana Vosnika

German Lorca (1922-2021)

O mestre foi um dos poucos a vivenciar de modo pleno a fotografia, em suas mais diversas modalidades: de amador a profissional, do analógico ao digital, das câmeras aos smartphones. Com uma visão peculiar sobre os mais variados temas, estabeleceu sua linguagem de maneira única.

Sua obra faz parte dos mais importantes acervos do mundo, como o do Museu de Arte Moderna de Nova Iorque (MoMA), entre muitos outros. Sete de suas fotografias integram a coleção permanente do Museu Oscar Niemeyer.

No final dos anos 1940, Lorca afiliou-se ao Foto Cine Clube Bandeirante, em São Paulo, hoje objeto de estudo internacional por seu vanguardismo. “Quando a fotografia moderna toma impulso e vem revolucionar a cena brasileira, ele se destaca com seus cortes e enquadramentos, tanto na captura da foto quanto no ato da revelação”, esclarecem Adriana e José Henrique.

Lorca passou por uma fase chamada “concreta”, em que explorou planos inusitados e ângulos diferenciados. Na fotografia publicitária, foi pioneiro. Incessantemente atrás de novidades, com audácia nas buscas cromáticas, nos ângulos ousados e nos temas irreverentes e provocativos, conquistou o mercado publicitário, que se iniciava no Brasil.

Com trajetória reconhecida, nacional e mundialmente, nunca parou. Seguiu com seu olhar atento, formando gerações de fotógrafos que se inspiraram, não só em sua técnica, mas em seu jeito afetivo de olhar o mundo. “Sempre atemporal, seguiu fotografando até os últimos dias de sua vida extraordinária”, explica a curadoria.

Exposição “German Lorca, Mestre da Fotografia”

Inauguração: Dia 4 (quinta-feira), 17h
Sala 1
Museu Oscar Niemeyer
Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico – Curitiba

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Exposição inédita de fotografia acontece no Museu Oscar Nyemeyer em julho

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.