A suavidade no canto de Bernardo Bravo ganha novas possibilidades em Disco do Desassossego (2019/iMusics). Com oito faixas, o cantor e compositor carioca radicado em Curitiba, lança seu terceiro álbum de estúdio, com a produção musical assinada pelo cantor, compositor e instrumentista, Du Gomide.

O cantor e compositor Bernardo Bravo, retorna aos palcos com o lançamento, “Disco do Desassossego”, nesta quinta-feira (05), às 20h, no projeto Brasis no Paiol. Os ingressos já estão à venda nos valores de R$10 e R$5. (Foto: Gio Sofer/Divulgação)

Repleto de texturas e influências sonoras que, vão desde a música folclórica Min’yō, e caribenha, ao electropop, com a presença de rabeca, guitarra, synth, latão de lixo, flauta transversal, alfaia e programações; Disco do Desassossego apresenta em pouco mais de 30 minutos, muito mais do que a proposta do nome evocado pelo álbum.

Diferente de Coyoh (2016/Tratore) – álbum que antecede Disco do Desassossego – onde as influências do rock estão fortemente presentes, tanto na sonoridade quanto na estética visual da turnê – o novo projeto, também com produção musical de Du Gomide, deixa evidente o amadurecimento musical da parceria entre os artistas.

Desde o début de Bernardo Bravo com o álbum minimalista, Arlequim (2013) com a direção de André Prodóssimo e distribuído pela Tratore, Disco do Desassossego apresenta a pesquisa da composição e a relação da letra com a melodia, fortalecendo o crescimento artístico de Bernardo Bravo que, desponta no terceiro álbum, como um dos melhores do cantor e compositor.

Tudo faz sentido e logo passa. É um oráculo musical que poderá ser lido de diferentes formas, com distintas mensagens sobre a nossa vida na cidade”, explica o músico sobre Disco do Desassossego. 

Do conceito onírico do álbum, Bernardo Bravo apresenta na relação entre a música e literatura, uma ode à obra do autor lusitano Fernando Pessoa (1888 – 1935), no Livro do Desassossego (1982/Ática). 

Categorizado no álbum, em oito ‘desassossegos’ – ou faixas – outra associação da obra do autor sobre o álbum, é que Bernardo Soares é um semi-heterônimo de Fernando Pessoa, assim como o nome de Bernardo Soares (Bravo) em sua identidade.

O show de lançamento do álbum, “Disco do Desassossego”, traz as participações das artistas, Janine Mathias, Uyara Torrente, Isis Odara e Larissa Tomass. (Foto: Reprodução/Instagram)

Com leitura de trechos do Livro do Desassossego feito por diversos nomes do cenário queer, da literatura, e claro, da música, o álbum traz a participação internacional da cantora, Patrice Quinn (que integra a banda do saxofonista de jazz, Kamazi Washington) na faixa Onírica, ao lado de Janine Mathias e Tuyo.

Também, ao lado de Uyara Torrente, Cacau de Sá (Mulamba), Juana Profunda, Francisco Mallmann e Lari Tomass, Bernardo Bravo canta no Disco do Desassossego, sua estabilidade emocional, onde o amor desprovido de rótulos, incide a sua relação entre a urbe e a natureza.

Com a diversidade musical refletida na curadoria dos artistas que integram o Disco do Desassossego, as relações triviais nas composições do artista, exprimem no álbum, um desassossego singular na braveza-doce-inata, característica plural de Bernardo Bravo.

SERVIÇO | Brasis no Paiol apresenta Bernardo Bravo
QUANDO: 05 de dezembro (quinta-feira)
HORÁRIO: 20h
LOCAL: Teatro do Paiol – Praça Guido Viaro, s/n
INGRESSOS: R$ 10 e R$ 5*
COMPRE ONLINE

*Pontos de venda sem cobrança de taxas

– Capela Santa Maria: R. Conselheiro Laurindo, 273
Horário bilheteria: segunda à sexta, 9h às 12h e 14h às 17h30
(consulte horários diferenciados em dias de eventos)
Telefone: (41) 3321-2840

– Teatro do Paiol: Praça Guido Viaro, s/n
(vendas a partir do dia 19/11, havendo disponibilidade de ingressos)
Horário bilheteria: Terça à sexta, 14h às 17h30
(consulte horários diferenciados em dias de eventos)
Telefone: (41) 3213-1340